mulher

Mastectomia: o que é?

mastectomia retirada da mama seios
Shutterstock

A atriz Angelina Jolie divulgou recentemente que se submeteu a uma mastectomia preventivacirurgia de retirada dos seios – para diminuir as chances de ter câncer de mama. Por meio de um exame, Angelina descobriu que a probabilidade de desenvolver a doença que já havia acometido a sua mãe era de 87%. O médico oncologista Ricardo Caponero explica que pacientes que têm um risco muito alto como o da atriz podem optar por fazer essa cirurgia, mas que a decisão deve ser tomada com a ajuda do médico. "Essa resolução é difícil, mas a cirurgia em si não é complicada", explica ele.

Leia também

Jovem mostra que alegria é 99% do tratamento contra câncer

Quando precoce, câncer de mama tem 98% de chances de cura

Alimentação contra câncer de mama

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] Com a redução, as chances de Angelina ter câncer de mama caíram para 5%Crédito: Getty Images

Mastectomia preventiva: quando é indicada?

Segundo Caponero, o alto risco genético acontece quando alguém da família já foi vítima de câncer de mama nos seguintes casos: dois parentes de primeiro grau, um familiar do sexo masculino ou algum caso antes dos 35 anos. Nesses casos, é indicado que a pessoa faça um exame para descobrir a qual o risco que ela corre. "A mastectomia preventiva reduz a chance em cerca de 92%, mas também há outras formas de prevenção, como tratamento com remédios e rastreamento rigoroso", ressalta o médico.

No editorial "My Choice Medical", escrito por Angelina Jolie e publicado no jornal "The New York Times", a atriz explica que decidiu tomar a iniciativa para reduzir o risco da doença, que após a cirurgia passou a ser de apenas 5%.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] O autoexame das mamas é importante, mas pode não detectar a doençaCrédito: Sutterstock

Reconstrução mamária

Caponero explica que a reconstrução é feita no mesmo momento da retirada das mamas e que a recuperação não é demorada. "A paciente costuma sair do hospital em dois dias e por um tempo deve usar colete e tomar alguns cuidados, mas é um pós-operatório tranquilo. A mulher só precisa ter consciência que o resultado estético não é perfeito", ressalta.

Câncer de mama

O autoexame das mamas através do toque é a maneira mais popular e divulgada para detectar o câncer de mama, mas nem sempre a doença pode ser percebida somente com o apalpar dos seios.  Existem diferentes formas de manifestação do tumor além do nódulo, podendo ser percebido também por uma espécie de buraquinho na mama, por manchas vermelhas, feridas no bico do peito ou mesmo por dores em outras partes do corpo.