HPV: o que é, sintomas e como tratar

HPV sintomas HPV tratamento HPV
Shutterstock

A partir de 2014, o Sistema Único de Saúde (SUS) vai oferecer a vacina contra o vírus papilomavírus humano, conhecido como HPV. Este vírus é responsável por cerca de 90% dos casos de câncer do colo de útero, o segundo tipo mais frequente em mulheres. O médico oncologista Ellias Magalhães e Abreu Lima, da Oncomed BH, esclarece as principais dúvidas a doença.

Leia também

HPV pode causar câncer de garganta

HPV pode ser transmitido ao bebê durante o parto

Usar a mesma camisinha no sexo anal e vaginal pode causar doenças

O que é o HPV

O papilomavírus humano faz parte de uma família de mais de 150 tipos vírus que infectam exclusivamente a pele e mucosas dos seres humanos. A doença é sexualmente transmissível e pode causar patologias como a verruga vulgar, a verruga plana, o condiloma acuminado (verrugas genitais) e o câncer de colo uterino, canal anal, vulva, vagina, pênis e orofaringe.

Sintomas e diagnóstico do HPV

As verrugas genitais causam prurido, sensação de queimação e eventualmente sangramentos durante o ato sexual. O diagnóstico de infecção pelo HPV é feito através da pesquisa do DNA/RNA do vírus na amostra do tecido da mucosa genital, anal, oral ou outro local suspeito. Na maioria das vezes só é possível descobrir a presença do vírus por meio do exame preventivo de papanicolau.

O que o HPV pode causar

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] O HPV pode causar câncer do colo de úteroCrédito: Shutterstock

Os HPVs são divididos em oncogênicos, aqueles que têm a capacidade de desenvolver câncer, e os não oncogênicos, não relacionados ao desenvolvimento de tumores. Alguns subtipos não oncogênicos têm predileção pela pele, neste caso levando ao aparecimento de verrugas comuns, planas e plantares (nas plantas dos pés). Outros subtipos atingem as mucosas da região anogenital, como o pênis, o escroto, a região perianal, o canal anal, a vulva, o introito vaginal e o colo uterino. Levam ao aparecimento das verrugas genitais (condiloma acuminado).

Contaminação do HPV

A principal forma de transmissão do HPV é por meio da relação sexual, seja ela genital, anal ou oral. Por isso, a maneira mais eficaz de se evitar a infecção é a abstenção do contato sexual com outra pessoa infectada. O uso correto e consistente de preservativos diminui as chances de contaminação, mas não garante que o contágio não vá acontecer.

Tratamento do HPV

Atualmente não existem medicamentos capazes de eliminar a infecção pelo HPV. O tratamento dependerá do tipo de lesão e, no caso do câncer, da extensão da doença. Remover as verrugas genitais manualmente nem sempre elimina o HPV e as lesões podem reaparecer. A aplicação de substâncias como podofilina e ácido tricloroacético são capazes de destruir as verrugas genitais externas. Contudo, dependendo do tamanho, localização e quantidade das lesões outras opções terapêuticas podem ser necessárias. São elas: Crioterapia (lesão por congelamento utilizando-se nitrogênio líquido); eletrocauterização (lesão por corrente elétrica); laser (lesão por calor).