Doença celíaca: o que é, sintomas e tratamento

doenca celiaca gluten intolerancia a gluten 176599688
Thinkstock

Bebês e adultos com diarreia crônica e perda de peso podem ter a doença celíaca. Problema de origem genética, a doença caracteriza-se pela intolerância do organismo ao glúten, presente em diversos alimentos como pães, bolos, pizza e macarrão.

Leia também

Aprenda a preparar um delicioso petit gateau sem lactose e glúten

Famosas fazem dieta sem glúten para perder peso em poucos dias

Veja receitas para quem tem intolerância a glúten

Segundo o gastroenterologista Silvio Gabor, apesar de muitas pessoas acharem que a doença foi descoberta recentemente, isso aconteceu pela primeira vez no século II por um grego chamado Arataeus da Capadócia. "Ele informou a existência de uma diarreia que aparecia em crianças após a ingestão de farináceos e que se revertia com sua suspensão", conta.

O que é

A doença celíaca é uma doença autoimune que atinge cerca de 1% da população mundial e cerca de 900.00 brasileiros. Caracterizada pela intolerância permanente ao glúten, mais especificamente à gliadina, uma proteína presente no trigo, na aveia, no centeio e na cevada (e seu subproduto malte), cereais utilizados na composição de alimentos, medicamentos e bebidas industrializadas.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] Pessoas com doença celíaca não podem comer alimentos com glúten, como bolos, bolachas e pães / Crédito: Thinkstock

Quando ingeridas, essas substâncias atingem a porção inicial do intestino delgado e provocam uma reação imunológica que leva a um processo inflamatório crônico desta região. "Isso prejudica a absorção dos alimentos, dos sais minerais e de outros nutrientes", explica o médico. Segundo Gabor, a doença celíaca costuma ser diagnosticada no primeiro ano de vida, mas pode manifestar-se em qualquer idade.

Tipos e sintomas

A doença celíaca pode ser classificada em clássica, não clássica e assintomática.

Clássica

Na doença celíaca clássica, as primeiras manifestações costumam acontecer entre o primeiro e o terceiro ano de vida. Os principais sintomas em crianças são: diarreia crônica devida a ingesta de trigo, emagrecimento, falta de apetite, desnutrição, déficit de crescimento e de ganho de peso, anemia por deficiência de ferro e/ou vitamina B12, distensão abdominal, glúteos atrofiados, braços e pernas finos, apatia e em casos mais graves de desnutrição que pode levar à morte.

Não clássica

No tipo não clássico, as alterações intestinais não chamam tanto a atenção. Segundo o especialista, os sintomas nesse caso são anemia persistente por deficiência de ferro ou vitamina B12, baixo ganho de peso e de estatura, prisão de ventre, manchas no esmalte dos dentes, irritabilidade, fadiga e epilepsia sem causas aparentes. "Adultos podem apresentar elevações dos níveis sanguíneos de enzimas hepáticas e perda de peso sem causas aparentes", afirma o gastroenterologista.

Assintomática

Nesse caso, não existe manifestação da doença apesar dela estar presente.  "Parentes de primeiro grau de celíacos têm cerca de 10% de chances de desenvolverem a doença e devem ser pesquisados", explica Gabor.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] O fubá, por exemplo, pode substituir o glúten na dieta das pessoas celíacas / Crédito: Thinkstock

Diagnóstico

O diagnóstico da doença celíaca pode ser feito por meio de exames laboratoriais, como o teste da absorção da D-xilose. De acordo com o especialista, ainda há outro exames como a dosagem de anticorpos e a biópsia endoscópica do intestino delgado que podem ajudar no diagnóstico da intolerância.

Tratamento

O tratamento não requer nenhum medicamento específico, mas é preciso suspender totalmente e permanentemente o glúten da dieta. Pães, bolos, macarrão, bolachas, pizza, coxinha, quibe, cerveja, whisky, vodka e qualquer alimento ou bebida que possua o glúten na sua composição ou fabricação não podem ser consumidos por pessoas celíacas.

"O glúten pode ser substituído por farinha de arroz, amido de milho, farinha de mandioca, fubá, fécula de batata, trigo sarraceno ou quinôa", ressalta o médico. O café industrializado deve ser evitado por conter cevada em sua composição, entretanto o café em estado puro pode ser consumido.