mulher

Pode comer pimenta na gravidez? Veja se há riscos

pode comer pimenta na gravidez veja se ha riscos 1
Istockphoto/Thinkstock

Os cuidados com a saúde de um filho começam assim que a mulher descobre que está grávida e, durante esse período de gestação, surgem muitas dúvidas a respeito de hábitos de alimentação que devem ou não ser mantidos. Embora o consumo de álcool e comida crua seja vetado para as grávidas, o pediatra Dr. Moises Chensinski garante: “A mulher deve se alimentar de forma equilibrada, adequada e nutricionalmente balanceada. Deve privilegiar todos os grupos alimentares, sem exagerar em nenhum”.

Leia também: Pode comer chocolate amamentando? Veja se causa gases Sexo na gravidez é saudável e pode ser feito até o último mês Gravidez e alimentação

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]]

Pode comer pimenta na gravidez?

A pimenta não traz interferência alguma para o desenvolvimento do feto ou do bebê e também não traz malefícios ao leite materno durante a amamentação. Entretanto, o consumo desse alimento – para grávidas e para qualquer outra pessoa – deve ser moderado, especialmente para quem já tem problemas gástricos, como úlcera e gastrite.

Em excesso, alguns tipos de pimenta, como a pimenta-do-reino, podem provocar inflamações na tubo gástrico, que podem resultar em azia, por exemplo. Contudo, não há necessidade alguma de cortar esse alimento que, pelo contrário, traz diversos benefícios para a saúde.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]]

O que comer durante a gravidez?

De acordo com o Dr. Moises, não há restrições alimentares durante a gravidez e a chave é balancear os nutrientes. Além disso, ele dá dicas de nutrientes importantes para a formação do bebê. “É interessante que a alimentação seja rica em ácido fólico, para ajudar a formação do tubo neural do bebê, ferro e em alimentos ricos em ômega-3. Este último é importante no final da gestação pois favorece as sinapses (ligação dos neurônios do cérebro do feto)”, explica.