Rhodiola rosea para curar depressão, fadiga e emagrecer

Rhodiola rosea para curar depressao 1
iStockphoto/Thinkstock

A Rhodiola rosea para curar depressão, fadiga e emagrecer, já era usada pelos imperadores chineses, que consideravam esta planta fantástica para o corpo e para a mente. Também conhecida como a “raiz do Ártico”, ou “raiz dourada”, é mais consumida em forma de extrato. Muito usada pelos atletas asiáticos para afastar a fadiga, vem conquistando o Ocidente cada vez mais, com suas propriedades revigorantes. Além disso, é excelente para queimar a gordura.

Resultados das pesquisas

Uma pesquisa publicada no americano The Journal of Alternative and Complementary Medicine, mostra que a Rhodiola aumenta o desempenho mental, e diminui o hormônio do estresse no sangue, o cortisol. Com isso, produz a redução do estresse de maneira generalizada. Seu uso diário, em doses seguras, melhora a ansiedade, cura a depressão e aumenta o bom humor.

Na atualidade, pode-se verificar mais 300 ensaios clínicos, que atestam esta erva como anti depressiva. Outros efeitos constatados nas pesquisas são a melhora da qualidade do sono e da vitalidade sexual. Em sua composição estão presentes os rosavins, que revitalizam a área do cérebro responsável pela diminuição dos níveis de dopamina, serotonina e noradrenalina.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]]

Pelos cientístas, a Rhodiola é considerada uma planta “adoptagen” (por seu termo em inglês). Na prática isso significa que aumenta a capacidade de resposta do corpo diante da tensão e do estresse, onde os voluntários nos estudos receberam 100 miligramas de rhodiola por dia. Naqueles em que foram ministrados 150 miligramas, foi revertido o estresse emocional, que é caracterizado pela baixa motivação, fraqueza muscular, lentidão, fadiga crônica, dor no peito, ou palpitações excessivas. Há que citar, também, que o desempenho da memória e a capacidade de concentração de alguns voluntários melhorou em até 88%.

Outra boa notícia é que a “raiz dourada” promove a perda de peso no tecido adiposo. Logo, é a erva indicada para quem quer perder a barriga. 121 indivíduos passaram por testes onde ficou demonstrado que a ativa a lipase, uma enzima que literalmente queima os depósitos de gordura no corpo, em especial na região do estômago.