mulher

Cura acelerada através da Terapia com animais

Cura acelerada atraves da Terapia com animais 1
iStockphoto/thinkstock

Hospitais americanos estão adotando a técnica com muito sucesso: nos seres humanos a cura é acelerada através da Terapia com animais. Quem possui conhece bem o laço que se cria, e o quanto a companhia de um animal de estimação pode ser prazerosa. As pesquisas científicas reforçam a ideia, e revelam outra faceta: o reflexo na saúde. O resultado é que além dos hospitais, casas de repouso, instituições para doentes mentais, e até presídios, estão recorrendo ao método. Cães, cavalos, gatos, peixes e aves... A companhia de todos estes é recomendada para melhorar a saúde física e mental.

Os amigos fiéis que te deixam saudável

A dor, o estresse e a ansiedade tão típicos num hospital, ou em pessoas que passam por situação de convalescência/reabilitação, são substituídos por outro ânimo quando da presença de um animal querido. “Ilumina o espírito, seja de uma criança, de um adulto, ou de um membro da equipe”, citou Meredith Daly, a porta-voz da pousada americana Melissa Forsyth, onde a técnica foi recém adotada.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]]

Nas últimas 3 décadas o uso de animais de estimação em ambientes médicos tem aberto um novo campo para a pesquisa, mas não é uma novidade. O psicólogo clínico, Aubrey Fine, também professor na California State Polytechnic University, salienta que a utilização de animais domésticos para acelerar a recuperação de doentes ocorre há mais de 150 anos.

Porém, somente no final dos anos 70 que os cientistas começaram a estudar o forte vínculo que une humanos e animais. Uma das constatações durante os estudos é de que sobreviventes de ataques cardíacos que passaram a ter animais de estimação viveram mais tempo que aqueles que não tinham essa companhia. Outra pesquisa mostrou que o simples ato de afagar um cão diminui a pressão arterial.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]]

A enfermeira Rebecca Johnson, que dirige o Centro de Pesquisa sobre a interação humano/animal, na Faculdade de Medicina Veterinária de Missouri, indica que os resultados mais recentes mostram que esta interação pode aumentar o nível do hormônio oxitocina nos seres humanos (a oxitocina é um dos hormônios que proporciona as sensações de felicidade e auto-confiança).

Por acelerar a produção deste hormônio, é que a companhia de animais domésticos revitaliza a mente, impulsionando um efeito poderoso, que acaba se refletindo no corpo. “O organismo passa a ficar em estado de prontidão para a cura, o que produz o crescimento de células novas e saudáveis”, comentou Johnson.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]]

O relato dos profissionais que recorrem a esta terapia é de que os resultados nos pacientes é de maior envolvimento, e de maior assimilação das informações e métodos necessários ao processo de cura. No caso das crianças, os benefícios são ainda maiores, pois ficam muito mais à vontade quando cercadas por animais de estimação.

Fonoaudiólogos, terapeutas, psicólogos e analistas também têm adotado esta terapia, e afirmam que os benefícios são concretos. Bom, basta observar um "gatinho mimoso", ou "cachorrinho lindo" para que um sorriso logo venha à tona. Por aí já é possível ter uma ideia mais concreta dos efeitos...