pop

Grupo racista que atacou atrizes e jornalista da Globo é preso; Taís Araújo se manifesta

mulheres negras racismo
@sheronmenezzes/@majucoutinho/@crisvianna@taisdeverdade/Instagram

A Polícia do Rio de Janeiro prendeu cinco criminosos virtuais que atacaram com ofensas racistas as atrizes Taís Araújo, Sheron Menezzes, Cris Vianna e a apresentadora da TV Globo Maju Coutinho. Segundo informações do portal G1, os comentários preconceituosos foram feitos por um mesmo grupo de haters (internautas que disseminam ódio contra alguém), que seguia regras reunidas em um "estatuto", como afirmou o delegado responsável pelas prisões ao site.

Ofensas racistas na internet 

De acordo com o delegado titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática do Rio, Alessandro Thiers, a atuação dos haters gerou busca em pelo menos 6 estados: Santa Catarina, São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Bahia e Rio Grande do Sul.

Haters são usuários da web que se mobilizam para criticar e disseminar o ódio, de maneira individual ou coletiva.

A Polícia já trabalhava com a hipótese de que o mesmo grupo teria planejado os ataques à jornalista Maria Julia Coutinho, a Maju, e a Taís Araújo.

Três suspeitos foram detidos e um menor foi apreendido. Outro participante do grupo, que recebeu um dos 11 mandados de busca e apreensão da ação, foi preso em flagrante em Porto Alegre, por armazenar vídeos pornográfico de crianças de 1 a 5 anos, conforme reportou o jornal Folha de S. Paulo.

Em entrevista à TV Globo, o delegado afirmou que a Polícia identificou a ação do bando por meio do monitoramento das redes sociais. Neste primeiro momento, a corporação chegou aos administradores do grupo.

"Eles tinham representações em diversos estados do país. Tinham um estatuto, com várias regras. Se a pessoa não cumprisse essas regras, poderia ser excluída", explicou.

"Para evitar o serviço da polícia, eles formavam diversas células para praticar esses ataques. Mas, a maioria das células já foi identificada e a polícia vai continuar a investigar. Neste primeiro momento, somente os administradores foram identificados".

Segundo a Folha, Taís Araújo comentou brevemente sobre a ação da Polícia nesta quarta-feira:

"É importante saber que a Justiça deu continuidade à denúncia e espero que crimes contra os negros não fiquem mais impunes."

Ataques a famosas negras na internet 

Os comentários preconceituosos atingiam especialmente mulheres negras, famosas, e com grande visibilidade nas redes sociais. Relembre cada caso e como as atrizes Taís Araújo, Cris Vianna e Sheron Menezzes e a jornalista Maria Julia Coutinho reagiram às agressões:

Maju

maju coutinho
Divulgação

O ataque foi feito na página do Jornal Nacional, programa em que Maju apresenta a previsão do tempo. A página foi bombardeada com comentários como "não bebo café pra não ter intimidade com preto", "preto só vai à escola quando ela está em construção", "só conseguiu emprego no Jornal por cotas", entre outros.

Os comentários ofensivos mobilizaram os internautas e os profissionais do Jornal, como William Bonner e Renata Vasconcellos, que lideraram a campanha #SomosTodosMaju.

Taís Araújo

tais araujo 1
Divulgação

A atriz foi alvo de uma série de comentários preconceituosos por conta de uma foto publicada no Facebook. Entre os comentários, alguns usuários diziam "já voltou da senzala?", "cabelo de Bombril", "quem postou a foto desse gorila?", entre outras postagens altamente ofensivas.

Cris Vianna

A atriz sofreu racismo na internet em sua página no Facebook. Ela afirmou, na ocasião, que tomaria medidas judiciais necessárias para identificação e punição dos haters.

"Se meu trabalho me permite expressividade, usarei minha voz por muito que sofre esse tipo de ataque diariamente e voltam para casa calados, cansados de não serem ouvidos. Como todos vocês, tenho orgulho da minha pele, do meu cabelo, da minha origem e de tudo o que sou. Do que somos. E não estamos sozinhos. Temos do nosso lado a lei".

Sheron Menezzes

Fotos no Instagram da atriz foram alvo de comentários preconceituosos. Ela também se posicionou sobre ser mais uma vítima de racismo na internet.

View this post on Instagram

Desprezíveis Racistas Não adianta entrar na minha página e escrever absurdos, xingamentos e agressões pois vão ter que engolir a mim e a tantas outras pessoas negras em nosso país! Já esperava por isso depois do que fizeram com minhas amigas e colegas, então quero lhes dizer que saiam da frente com sua inveja, pois estamos passando com o nosso cabelo maravilhoso, com a nossa linda cor, nossa beleza, nossa educação e nossa inteligência. Não adianta colocar uma máscara de macaco no meu rosto ou tentar me ofender porque isto não me atinge! Fui treinada desde criança, e sei o meu valor! Mas atinge milhões de pessoas no Brasil que sofrem essa discriminação todos os dias! E é por elas que resolvi me manifestar. Tomarei as providências cabíveis. Acho melhor tirarem as suas máscaras e se revelarem publicamente, pois se não o fizerem a Polícia Federal o fará. Um a um vocês vão atacando e um a um vocês vão sendo identificados. Racismo e intolerância mataram e continuam matando milhares de pessoas, e quem pratica esse crime deve ir para o seu lugar, a cadeia.

A post shared by Sheron Menezzes (@sheronmenezzes) on

Como denunciar 

Para denunciar crime de racismo ou injúria racial, disque 156, em seguida opção 7.

Matéria publicada em 16 de março de 2016

Mais sobre combate ao racismo: 23 frases inspiradoras de mulheres negras