mulher

Pular refeições engorda e aumenta risco de diabetes, diz novo estudo

pular refeicoes engorda
Thinkstock

Se você acha que deixar de jantar ou tomar café da manhã irá te fazer emagrecer, não só está enganada como pode obter justamente o efeito contrário. Esta é a conclusão de um recente estudo americano, que observou os efeitos de se pular uma ou mais refeições no dia.

Leia também:Dietas para emagrecer: apenas duas funcionam, diz estudo; saiba quais sãoEstudo prova que comer um certo tipo de alimento emagrece mais que dieta. Veja qual éDieta mediterrânea é a melhor forma de combater obesidade, diz estudo

Os pesquisadores descobriram que o jejum leva as células do fígado a pararem de reagir à insulina. Isso significa que, mesmo quando há presença de insulina no sangue, o fígado não reconhece e continua produzindo glicose. Este processo, por sua vez, leva ao acúmulo de glicose, que é transformada em gordura e armazenada na região abdominal. Além disso, aumenta o risco de desenvolvimento da diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares.

Os responsáveis pelo estudo sugeriram, ainda, que fazer pequenas refeições frequentemente pode ajudar na perda de peso. "Este estudo sustenta a noção de que pequenas refeições ao longo do dia podem ser uteis para a perda de peso, apesar de não ser prático para muitas pessoas. Mas você definitivamente não quer pular refeições para economizar calorias, pois isso submete seu corpo a oscilações maiores nos níveis de insulina e glicose e poderia estar causando ganho de peso ao invés de perda de peso", declarou a autora sênior Professora Martha Belury, da Ohio State University, segundo reportagem do portal Daily Mail.

pular refeicoes engorda 2
Thinkstock

O estudo

Os pesquisadores separaram ratos em dois grupos. O primeiro foi alimentado com toda a comida do dia em uma única refeição, de modo que passou o resto do dia em jejum. O outro grupo era livre para beliscar durante todo o dia.

Inicialmente, os roedores que receberam uma única refeição perderam peso em comparação aos outros. Por três dias, eles ingeriram metade das calorias consumidas pelos ratos que tinham acesso irrestrito à comida.

Os pesquisadores passaram a adicionar comida gradualmente, de modo que, no 6º dia, todos os ratos estavam recebendo a mesma quantidade de alimentos no dia. Conforme as calorias foram sendo reinseridas, os ratos do primeiro grupo recuperaram o peso e, ao final do estudo, pesavam quase o mesmo que os do segundo grupo.

Porém, a gordura acumulada na porção central – equivalente à gordura abdominal em humanos – pesava mais nos ratos que fizeram apenas uma refeição por dia. Além disso, eles desenvolveram resistência à insulina, um dos indicadores de pré-diabetes.