mulher

Farinha branca traz riscos de obesidade, diabetes e doenças crônicas

farinha branca saude corte
Shutterstock

Pão, bolo, bolacha, macarrão, pizza e torta são comidas deliciosas e diferentes uma da outra quanto ao modo de preparo. Contudo, têm um ingrediente em comum em sua composição: a farinha branca. Essa simples semelhança os torna um perigo para a saúde, já que a substância engorda e traz riscos de obesidade, compulsão alimentar, diabetes e doenças crônicas, além de prejudicar o funcionamento do intestino.

Leia também

Recheadas ou não, bolachas são vilãs e acumulam gordura localizada

Freekeh emagrece por ser supergrão turbinado em fibras

Evite a fome comendo alimentos que promovem saciedade; veja quais

"A farinha branca é um ingrediente pobre em nutrientes e de alto índice glicêmico. Tem ação semelhante ao açúcar no organismo, aumentando a taxa de glicose no sangue e, por isso, o consumo em excesso está associado ao aumento de triglicérides e incidência de diabetes, obesidade e doenças crônicas", alerta a nutricionista Cintya Bassi, que explica o que acontece. "O que torna a farinha de trigo maléfica a saúde é o processo de refinamento, que separa do trigo a casca e o gérmen, mantendo apenas o endosperma do grão que depois é moído. Nesse processo retira-se grande parte das propriedades nutricionais do alimento".

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] Pão francês leva farinha branca (Créditos: Shutterstock)

Faltam fibras – Esse é um dos principais problemas: o processo de refino da farinha de trigo em farinha branca reduz 80% da quantidade de fibras, o que a torna muito pobre nesse quesito. "As fibras alimentares estão entre os principais fatores da alimentação na prevenção de doenças crônicas, além de melhorar o controle de diabetes mellitus, reduzir o risco de câncer e regularizar o funcionamento intestinal", comenta a especialista. Ausência de fibras pode ocasionar constipação e desordens intestinais, daí a importância do consumo!

Gera compulsão alimentar – Esse problema pode acontecer porque os alimentos com farinha branca não promovem saciedade. "Com a mesma rapidez com que o açúcar se eleva no sangue e aumenta os níveis de serotonina, hormônio ligado a sensação de bem estar, ele também baixa, podendo gerar em um curto período de tempo, uma necessidade de consumir mais do alimento".

Farinha Branca x Farinha Integral

Em geral possuem valor calórico semelhante, porém, os produtos preparados com a farinha de trigo branca (refinada) não apresentam os mesmos benefícios para a saúde que aqueles preparados com farinha integral. O trigo não refinado preserva parte da casca do cereal e também o gérmen, onde se encontram os principais nutrientes, como fibras, vitaminas e minerais.

Portanto, a farinha integral mantém em sua composição as fibras e alguns nutrientes que não contém na farinha branca, como magnésio, zinco, selênio e vitaminas B1 e B6. Em contrapartida, a durabilidade do produto integral é menor e a textura e cor diferentes, sendo o grão mais endurecido e de coloração escura.

Como consumir

Não é necessário eliminar completamente da dieta os alimentos preparados com farinha branca, mas é essencial limitar a ingestão e substituir, sempre que possível, pela forma integral, que é muito mais saudável. A atenção deve ser redobrada para diabéticos – devido ao aumento da glicemia – e os celíacos – por conter glúten na farinha branca. Pessoas com elevação nos níveis de triglicérides e colesterol também devem moderar.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] Dê preferência aos alimentos com farinha integral, geralmente de cor mais escura (Créditos: Shutterstock)

Como comprar alimento integral

"Infelizmente a falta de regulamentação sobre alimentos integrais ainda ocasiona em falhas e fraudes nos produtos. Além disso, a indústria opta por utilizar a farinha branca misturada à integral para aumentar o prazo de validade e melhorar a aparência do produto", lamenta a nutricionista Cintya Bassi.

Ao comprar um produto integral é importante olhar no rótulo para entender os valores nutricionais. Se, entre os ingredientes, a farinha integral aparecer em primeiro lugar, é um bom sinal, pois os alimentos que aparecem na frente são os que estão presentes em maior quantidade no alimento.

Repare também na quantidade de fibras do alimento, já que produtos integrais devem conter maior quantidade desse nutriente. "Para reforçar a classificação, uma organização internacional chamada Whole Grains Council criou um selo para identificar produtos com quantidade de grãos integrais superior a 51% em sua composição e algumas marcas brasileiras possuem o selo", indica a profissional.