Etiqueta na academia

Quem disse que academia de ginástica é terra sem lei? Pode parecer redundante, mas educação não faz mal a ninguém, seja na musculação, no jump, no spinning ou mesmo nas lutas. Por causa da descontração impressa nas academias, muita gente erra na dose e acha que pode fazer o que quiser. Será? Dê uma espiada no pequeno manual que preparamos.

Para a consultora Sofia Rossi, exercícios e etiqueta têm tudo para caminharem juntos. Bom dia, boa tarde, boa noite, com licença e obrigado são expressões mágicas e que devem estar no dicionário de todo mundo. Empregue-as sempre: com o faxineiro, a moça da secretaria, com o professor... Mas não é só o uso dessas palavras que vai te deixar bem educado. Algumas ações falam mais do que qualquer coisa. Fique atento ao que você anda fazendo por aí. Assim, não corre o risco de ser taxada de "sem noção".

Uma das queixas mais constantes nas academias é o bate-papo entre as séries de um único aparelho enquanto algumas pessoas aguardam para usá-lo. "A solução é preparar os professores para oportunizarem o revezamento de equipamentos através de abordagem específica e gentil", orienta Vilmar dos Santos Villas, gerente técnico de ginástica da academia paulista Cia Athletica, unidade Brooklin, que completa: "Na nossa academia isso acontece raramente, devido ao acompanhamento inicial do professor com o aluno, que é instruído para respeitar pausas entre as séries religiosamente. E, nesses intervalos, há possibilidade de revezar se necessário".

O espelho também é motivo de discórdia. "Não sei qual é a graça de ficar se olhando o tempo inteiro", questiona a secretária Luana Queiroz, de 25 anos. É bom lembrar que ele serve, principalmente, para corrigir a postura no exercício. Não é para ficar horas em frente a ele arrumando o cabelo e nem fazer fila na porta da sala para garantir a primeira fileira na malhação.

Outra reclamação muito comum é a manutenção da limpeza dos equipamentos. "Há pessoas que não têm bom senso e deixam o aparelho todo besuntado de suor. Isso é terrível. Não custa terminar o exercício e passar um pano com álcool para limpar. Uma toalhinha para se secar também é de muito bom tom", analisa Suzana Lopes, estudante de 22 anos, que malha desde a adolescência.

A amiga Janaina Cruz, de 24 anos, frequentadora assídua de academias há oito anos, pontua a desorganização das pessoas como algo que precisa ser mudado. "Tem gente que sai espalhando tudo. Deixa garrafa de água em cima dos colchonetes, mochila em cima dos pesos... Aí você tem que procurar o dono e pedir para retirar ou, na pior das hipóteses, colocar no chão", reclama. Villas tem uma solução para isso: a academia deve enfatizar a importância dos alunos guardarem os seus pertences nos armários de vestiários com bom cadeado. Agora, toalhinha e squeeze devem ficar grudadinhos no dono.

Mas a regra não vale só para os próprios pertences, não. Ter cuidado com os materiais da academia é fundamental. Não pise nos colchonetes, nem deixe pesos e outros objetos largados pela sala. Depois que usar, coloque tudo nos devidos lugares. Para os homens, vale retirar os quilos a mais de peso do aparelho e deixá-lo mais leve para o próximo usuário. "Alguém que treina com menos pesos tem dificuldades na hora de desmontar e guardar tudo o que deixaram no equipamento", diz Janaina.