Dossiê dos chás indica qual emagrece, relaxa ou cura enfermidades

cha shutterstock 45354670
Shutterstock

Chá para emagrecer, para dormir bem, para acalmar, para o bom funcionamento do intestino, para curar dores ou enfermidades. São muitas as opções de chás que anunciam melhoras para a saúde e é preciso saber tirar o melhor dessas ervas. E você, sabe?

Leia também

Torradas são tão calóricas quanto pães e estragam sua dieta

Tomar café da manhã é o segredo para evitar o efeito sanfona

Saiba quais são as frutas ideais para refrescar com sucos sem engordar

Para aprendermos tudo sobre o assunto, conversamos com a nutricionista do Hospital do Coração, em São Paulo, Leila Ali Hassan Kassab Crisóstomo, que monta um dossiê explicando direitinho para quê serve cada um deles. Antes de conferir, vale o alerta: é preciso muito cuidado antes de consumir qualquer tipo de chá com intuito terapêutico sem acompanhamento médico. Além disso, segundo a especialista, nenhum chá possui poder nutricional isolado nem mesmo emagrece, apenas auxilia na redução de peso se acompanhado de uma dieta equilibrada.

Existem duas formas de preparar os chás, por infusão das folhas frescas ou com os saquinhos que trazem folhas já secas. O segundo, mesmo sendo menos saboroso e apresentando menos quantidade de nutrientes, é o mais indicado, uma vez que reduz também a possibilidade de intoxicação. Isso porque as ervas frescas apresentam maior concentração de compostos tóxicos.

Abaixo, indicamos os melhores para cada situação. Depois de escolher um, confira na lista que segue as propriedades e contraindicações da erva.

Para ajudar a  emagrecer -Branco, Verde, Preto, Carqueja e Hibisco.

Curar enfermidades e fazer bem à saúde –Boldo, Camomila, Mate, Erva-Doce, Capim Cidreira, Hortelã, Carqueja e Hibisco.

Contra envelhecimento – Branco, Verde, Preto e Mate.

Promove relaxamento –Camomila e Hortelã.

Diurético – Branco, Verde, Preto, Erva-Doce, Carqueja e Hibisco.

Conheça cada erva:

Chá Branco, Verde e Preto – São feitos a partir da mesma planta, a Camellia sinensis. O que difere cada um deles são condições de cultivo, coleta, preparo e acondicionamento das folhas. O chá branco é a infusão de chá com folhas jovens que não sofreram efeitos de oxidação; o chá verde deriva de pouca oxidação durante o processamento (levemente fermentado); chá preto (bem fermentado, e forte) é dentre eles o que sofre maior oxidação.Propriedades: A erva é rica em substancias antioxidantes, cafeína, vitaminas e minerais. Estudos sugerem que pode auxiliar na prevenção do câncer, ter efeito antienvelhecimento, na queima de gorduras, na redução das taxas de LDL (colesterol ruim) e no controle do diabetes tipo 2. O chá também pode apresentar efeito diurético. Contraindicação: Devido à presença de cafeína na planta, principalmente no chá preto, pessoas que sofrem de hipertensão arterial e/ou arritmia devem evitar o consumo excessivo destes chás. Pessoas que têm gastrite e/ou dificuldades para dormir ou insônia também.

Boldo – Planta medicinal de nome científico Peumus boldus molin. É isento de cafeína. Propriedades: O consumo de infusão de boldo pode aliviar sintomas de mal estar estomacal e intestinal, vômitos, mal estar e cólicas abdominais devido ao efeito calmante do boldo sobre a flora intestinal. Outros benefícios que podem ocorrer são: a diminuição da azia, diminuição dos efeitos do excesso de bebida alcóolica e diminuição dos gases. Contraindicação: Deve ser evitado por gestantes, pois tem efeitos abortivos. O consumo excessivo pode causar vômitos, diarréia e problemas no sistema nervoso. Pacientes com vesícula biliar obstruída ou doenças do fígado devem consumir o boldo sob orientação e supervisão médica.

Chá Mate – A erva-mate (Ilex paraguariensis), também chamada mate ou congonha. É consumida como infusão quente (chimarrão ou mate) ou gelada (tereré ou tererê ou mate gelado) no Brasil. Propriedades: Estudos detectaram a presença de muitas vitaminas e minerais na erva e indicam que ela pode auxiliar na diminuição da absorção do colesterol. Pesquisadores descobriram que a erva-mate tem um número de propriedades antioxidantes maior até que o chá verde, podendo auxiliar no combate ao envelhecimento precoce. Outro efeito é a redução média de 10% na glicemia, auxiliando assim o controle do diabetes. Contraindicação: Devido à presença de cafeína na planta, pessoas que sofrem de hipertensão arterial e/ou arritmia devem evitar o consumo excessivo destas infusões. Pessoas que têm gastrite e/ou dificuldades para dormir ou insônia também.

Camomila – Panta medicinal da família das Arteraceas. É isento de cafeína. Propriedades: Rica em flavonoides e cumarina, tem ação estimulante da cicatrização, anti-espasmódica e calmante. Assim, pode ser indicada como coadjuvante no tratamento de Irritações de pele, resfriados, inflamações nasais, sinusites, cólicas menstruais. Contraindicação: Não é aconselhável o uso da camomila em inflamações oculares, sob o risco de agravar o problema original.

Erva-doce – Também conhecida como anis e funcho. É isenta de cafeína. Propriedades: O principal composto ativo presente na erva doce é o anetol, um aromatizante que pode agir como estimulante das funções digestivas, promover o alivio de gases, auxiliar a normalização da circulação sanguínea e estimular o sistema respiratória. Também poder apresentar efeito diurético. Os flavonoides presentes no bulbo e nos talos são semelhantes ao estrógeno podendo contribuir na redução do risco de câncer de mama e de ovário. Contraindicação: Durante a gravidez é recomendado evitar o consumo excessivo da erva-doce. Suas sementes podem desencadear contrações e levar a um aborto.

Capim Cidreira – Capim-limão, também conhecido por capim santo ou capim cidreira (Cymbopogon citratus), é uma planta herbácea da família das gramíneas, nativa das regiões tropicais da Ásia (Índia). É isento de cafeína. Propriedades: É considerada uma planta medicinal. Contém um óleo essencial formado principalmente por citral, composto ativo que pode apresentar efeito calmante, ação analgésica, diurético e no controle dos gases gastrointestinais. Contraindicação: Não deve ser consumido com remédios sedativos (calmantes, ansiolíticos barbitúricos), pois o efeito pode ser potencializado.

Hortelã – Mentha piperita. Sua infusão é isenta de cafeína. Propriedades: Não existem muitos estudos sobre os efeitos da hortelã. Popularmente acredita-se que o mentol em sua composição possa ter propriedades como coadjuvante no tratamento da síndrome do intestino irritável, náuseas e vômitos, diarreia, dor de cabeça, indigestão, mal hálito, controle de asma leve e estresse. Contraindicação: Deve ser evitado por pessoas que sofram com problemas hepáticos graves, e durante a amamentação.

Carqueja – A Carqueja (Baccharis trimera (Less) DC; Asteraceae) é uma planta que possui gosto amargo. A parte utilizada na infusão são as hastes da planta. Contém cafeína. Propriedades: A tradição popular recomenda-a para combater problemas digestivos e hepáticos, como diurético, laxante e como auxiliar no emagrecimento e no controle da diabetes. Contraindicação: Deve ser usada com moderação e com acompanhamento de médico ou nutricionista. Gestantes e lactantes não devem consumir a infusão de carqueja.  Doses excessivas podem baixar a pressão.

Hibisco – Hibiscus sabdariffa L. é um gênero botânico, com cerca de 300 espécies, inserido na família das Malvaceae. Contém baixo teor de cafeína. Propriedades: Pesquisadores descrevem que o hibisco pode acelerar o metabolismo e, assim, estimular a queima de gordura corporal, além de evitar o aparecimento do diabetes de tipo 2 e diminuir os níveis de colesterol, triglicérides e a glicose na circulação sanguínea. Também pode atuar como calmante, diurético e laxante. Contraindicação: Pode diminuir a pressão sanguínea em adultos pré-hipertensos e levemente hipertensos.