mulher

Dieta de outono

2011 04 72194
Dreamstime

O sol brilha, mas a brisa fresca do outono dá aquela vontade de não sair da cama. Quando não é dia de trabalho, a diversão preferida é o filmezinho com pipoca no sofá. Se for bem acompanhada, então... Por baixo do cobertor, porém, ainda está um corpinho perfeito, lapidado durante o verão. Mas a nova estação as traz tentações que vêm com as temperaturas mais baixas e podem pesar na balança. Aprenda com especialistas como evitar ganhar peso nesse período sem deixar de curtir os seus deliciosos atrativos.

Vontade de comer mais

Se existe algum culpado desse aumento de peso é o nosso metabolismo. O tempo mais ameno vai desacelerá-lo. "Com essa desaceleração, é natural ter maior vontade de comer", destaca a nutricionista Patrícia Davidson Haiat, da clínica que leva seu nome, no Rio de Janeiro. Isso acontece porque o corpo diminui o ritmo para armazenar energias e combater o frio. "Sentimos mais fome nessa época do ano por conta dos processos metabólicos feitos pelo organismo para manter a temperatura corporal", salienta a nutricionista Marcela Casanova, da Clínica de Hipertensão Arterial Associadas.

Por fora, o friozinho pede o casaco de inverno há tempos no armário só esperando por essa oportunidade. Ou aquelas botas sempre em alta na estação. Por dentro, o corpo também busca alternativas que equilibrem sua temperatura. "A metabolização das gorduras produz mais calorias do que a de carboidratos e proteínas, por exemplo. Por isso, tendemos a preferir alimentos mais quentes e de digestão mais lenta, que proporcionam sensação de saciedade por mais tempo, mas também são mais calóricos", explica Casanova.

Os alimentos que mantiveram seu corpo em forma no verão, como legumes, verduras e frutas, acabam perdendo força no cardápio para sopas e caldos. "No verão, é comum as pessoas darem preferência a comidas geladas e de mais fácil digestão, para refrescar e hidratar, já que estes alimentos contêm muita água. No inverno, elas preferem comidas mais pesadas para gerar mais energia", comenta Haiat.

Ficar mais em casa também é outro inimigo da boa forma. "O tempo ameno faz a gente perder um pouco da coragem de sair, reduzindo o nível de atividade física e aumentando o consumo de alimentos. Consequência: o ponteiro da balança sobe mesmo", complementa Casanova.

Inove o cardápio

Para combater a fome crescente e a diminuição da frequência dos passeios sem abrir mão do corpão, a solução é inovar no cardápio. A nutricionista Ana Rosa Cunha recomenda o uso de alimentos termogênicos para os lanches e intervalos entre as refeições.

"Os termogênicos são alimentos extraídos de plantas, como por exemplo o café, as pimentas e os chás. Seus elementos (cafeína, capsaicina e catquinas, respectivamente) são responsáveis por aumentar o gasto calórico", explica Ana Rosa, ressaltando que nenhum deles, no entanto, deve substituir as refeições. Outra ressalva é com relação à hidratação: "A sensação de sede diminui, mas a necessidade hídrica não. Então, continue se hidratando neste período".

Outros elementos podem incrementar ainda mais as receitas da estação. Especiarias como mostarda e gengibre dão um toque especial nos pratos e ajudam na briga com a balança. Segundo Cunha, as frutas devem fazer parte do menu: "Laranja, as gorduras de coco, kiwi, guaraná, maçã e até o vinagre de maçã são outros termogênicos de grande relevância", lista.

Na dispensa, acrescenta ela, acelga, aspargos, couve, brócolis, linhaça e produtos derivados do chocolate também são muito bem-vindos. Com estes ítens aquele jantar de queijos e vinhos pode acontecer, desde que não se torne rotina. "Se forem incorporados ao dia a dia, precisam ser combinados de uma forma que não surta efeito negativo na balança", conclui Haiat.