mulher

Da concepção à amamentação > Amamentando

2005 09 2934
Pacha Urbano

O parto influencia na amamentação?

Independentemente do tipo de parto, todas as mulheres estão aptas a amamentar! Em partos cesáreos, a descida do leite pode ser retardada em função do estresse cirúrgico e do uso de medicamentos. Quanto menos interferências da equipe médica, melhor. A dor ou o aparecimento de fissuras no mamilo podem ser causadas por uma pega incorreta no peito.

Como fazer para o bebê pegar correto no peito?

Pega correta no peito significa: o bebê deve abocanhar uma boa parte da aréola (parte mais escura do peito). A boquinha do neném deve estar bem aberta, com o lábio inferior voltado para fora (tipo "boca de "peixe") e o queixo encostado no nosso peito. O bebê não deve "mastigar" o bico do peito.

Como é o "primeiro leite" ou colostro?

Geralmente o que sai nas primeiras horas e dias após o parto é o colostro. O colostro é a primeira vacina que seu filho recebe, pois possui anticorpos que o protegem de infecções.

Quando oferecer a primeira mamada?

Dar de mamar ainda na sala de parto só traz vantagens para as mães e para o bebê. O útero se contrai, reduzindo o sangramento pós-parto e ajudando na descida do colostro ("primeiro leite"). Essa primeira mamada protege, aconchega e acalma o bebê. É aquele momento em que dizemos para o neném: "seja bem-vindo!", oferecendo, ao mesmo tempo, amor, alimento e carinho.

Como acomodar o bebê?

Para facilitar essa pega correta, a postura do bebê também tem grande importância! A barriga dele deve estar em contato com a barriga da mãe, em qualquer posição que estiver: deitada, sentada, em pé...

Conforto é fundamental!

Uma boa pega relaxa o bebê e faz com que ele não tenha medo de perder o bico. Uma boa pega libera o leite posterior (mais gorduroso) que irá saciar a fome do  seu filho e fazê-lo engordar. Uma boa pega incentiva a maior produção de leite. Uma boa pega espaça os intervalos entre as mamadas.

Diminuição do leite.

Existem várias causas para o leite materno diminuir. Entre elas, estão o cansaço, dormir pouco e mal, o estresse, má alimentação e pouco consumo de líquidos (principalmente água). A água de coco (grande fonte de hidratação) e a alfafa, se possível in natura, são excelentes para a recuperação do leite materno.

Por que introduzir novos alimentos depois dos seis meses?

a) a criança demonstra desejo de experimentar comer quando fica rodeada por familiares se alimentando.

b) a criança se senta, é capaz de segurar e levar à boca um alimento.

c) os primeiros dentes estão despontando.

d) ela está muito mais interessada no ambiente do que antes, quando a mãe era seu foco de atenção.

e) a mãe já está mais voltada para outros aspectos de sua vida, apesar de seu foco continuar a ser seu bebê.

f) o pai ou substituto está com um vínculo mais estabelecido com o bebê, e poder alimentar seu filho tem um valor especial.

g) porque a criança coloca muitos objetos sujos e contaminados na boca e não adoece, pois já adquiriu anticorpos.

h) se for descoberta uma alergia alimentar, os riscos serão menos perigosos para a vida do bebê.

i) bebê aceita mais tranqüilamente ser cuidado e alimentado por outra pessoa, podendo compreender melhor que sua mãe nutridora desaparece, mas aparece.  Vai, mas volta.

J) nesta fase, os intestinos do bebê estão mais competentes, já não existem tantas cólicas. Ele é capaz de digerir sem transtornos.

Fontes:

Dra Andréa Benazzi – ginecologista e obstetra

Rua Farme de Amoedo, 75 / sl. 501 – Ipanema - RJ

Tel: 21 2287-2035

Dr. Fernando Leite - ginecologista e obstetra

Rua Visconde de Pirajá, 330 / sl. 1203 – Ipanema – RJ

Tel: 21 2287-2905