mulher

Corrida emagrece: frequência cardíaca determina bons resultados

corrida emagrece
Thinkstock

Exercícios aeróbicos são grandes aliados de quem quer perder peso e sair do sedentarismo. Atividades cíclicas, como a corrida, aceleram o metabolismo e fazem da gordura sua fonte de energia. Para garantir o máximo rendimento do treino, é preciso prestar atenção a alguns detalhes importantes, como a frequência cardíaca.

Leia também:

Malhar em jejum emagrece mais?

Dica de treino para aumentar bumbum e coxas

Dieta Dukan: emagreça rápido e sem efeito sanfona

De acordo com o educador físico Felipe Lopes da Silva, a corrida é um ótimo exercício para emagrecer, pois trabalha diversos grupos musculares, exigindo alto gasto calórico. "Contudo, é preciso mudar as estratégias de treino frequentemente para evitar que o corpo se acostume. O organismo se adapta ao meio com o intuito de facilitar suas necessidades", afirma o profissional da Academia Fluyr Saudável.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] Crédito: Thinkstock

Quando o corpo se acostuma com o treino, os resultados deixam de aparecer. Alternar velocidade, tempo e inclinação do terreno evita que o corpo entre na zona de conforto. Subidas não são indicadas para pessoas sem condicionamento físico adequado ou que tenham problemas nos joelhos e tornozelos. Uma dica? Comece devagar e avance conforme o seu corpo permite.

Correr na esteira ou na rua?

A corrida na esteira oferece maior conforto, enquanto o exercício de rua é mais lúdico. O melhor é aquele que se adapta ao seu estilo e condicionamento físico. "A esteira possui um sistema de amortecimento que preserva as articulações do joelho e evita lesões. Nela também dá para controlar a velocidade e inclinação. Já a corrida na rua proporciona diferentes paisagens, maior gasto energético devido à irregularidade dos terrenos", afirma o profissional.

Frequência cardíaca para emagrecer

Controlar a os batimentos cardíacos é uma das formas mais eficientes emagrecer correndo. Para saber qual é a sua frequência cardíaca máxima, basta fazer uma conta simples: 220 - idade. Por exemplo, o coração de uma mulher de 20 anos pode chegar a 200 batimentos por minuto, enquanto o de alguém de 60 não passa de 160.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] Fazer uma avaliação física é o ideal antes de começar a se exercitar. Crédito: Thinkstock

Quem deseja emagrecer precisa praticar exercícios aeróbicos (corrida, bicicleta, natação) na chamada zona lipolítica, que fica entre 65% e 75% da frequência cardíaca máxima. Este intervalo favorece a mobilização de gordura corporal no momento do exercício. Quem está começando pode manter a frequência entre 50% e 60%, uma zona mais confortável. Para saber a quantas anda o seu coração, pode-se utilizar um cardiofrequencímetro (uma cinta e um relógio) ou optar por esteiras que já possuem o aparelho.

Exemplo:

220 – 20 = 200 (frequência cardíaca máxima)

Mínimo ideal: 200 X 0,65 = 130

Máximo ideal: 200 X 0,75 = 150

Vale ressaltar que esses números são estimativas e apenas um exame específico, como o teste ergoespirométrico é capaz de identificar as faixas de frequência cardíaca ideais para cada pessoa. Confira também um guia com 7 dicas para começar a malhar.