Caminhada nórdica potencializa o gasto calórico em até 25%

caminha nordica dieta

Quase todos os músculos do corpo são movimentados na caminhada nórdica. A atividade, super democrática, pode ser praticada por todas as idades, além de proporcionar um gasto calórico maior do que as caminhadas convencionais. "A Nordic Walking (nome em inglês para caminhada nórdica) é uma marcha potencializada.  Com o uso dos membros superiores em cada passo, há a estimulação dos músculos do tórax, do dorso, dos ombros, do abdômen, da coluna, além de outros grupos, incluindo tríceps e bíceps. Ela ativa 90% dos músculos do corpo, contra 70% na caminhada regular. Também gera maior consumo energético, o que poderá aumentar em média entre 20% e 46% comparando-se à caminhada convencional. Já o gasto calórico pode chegar a 450 calorias por hora se comparado a 280 cal/h na caminhada regular sem bastões", aponta a fisioterapeuta Cristina Funchal, instrutora de Nordic Walking.

A Nordic Walking surgiu na Finlândia em 1930, onde os esquiadores profissionais, adaptaram sapatos aos bastões de esqui, com a finalidade de não perder a performance durante o verão, mantendo o condicionamento físico em terreno sem neve. "É bem divertida e pode ser usada dos oito aos 80 anos, ou mais, além de ser uma atividade  que une gerações, indo da reabilitação, passando pela saúde e chegando ao fitness, quando possível. A caminhada nórdica oferece mais benefícios à saúde que a caminhada convencional, o ciclismo, a corrida regular ou o jogging", avalia Funchal.

Apesar de todos os benefícios, a caminhada nórdica ainda é vista pelos brasileiros com estranheza. "No Brasil, a técnica chegou no final do ano passado, ainda estamos no início da divulgação e enfrentamos preconceito, pois as pessoas pensam que os bastões são bengalas ou muletas, mas aos poucos estamos mostrando as vantagens de seu uso e as diferenças dos demais meios de apoio e as pessoas estão acordando para os benefícios da prática."

Para se exercitar, é necessário os bastões de Nordic Walking com luvas que se adaptam às mãos. Usada para ganhar condicionamento físico e até mesmo na reabilitação, a caminhada nórdica pode ser realizada ao ar livre, em praças, condomínios, parques, praias e trilhas. "Na reabilitação, a atividade abre uma luz para a população que tem sérias limitações para a prática de outras formas de exercício. Indivíduos idosos e com problemas neurológicos iniciam a atividade em local com pouco espaço, podendo iniciar dentro de suas casas para depois sair com segurança", explica a fisioterapeuta, garantindo que a atividade não é difícil:  "não é uma prática impossível, uma vez que a marcha faz parte da história dos indivíduos, mas necessita de treino de coordenação motora, reflexos de equilíbrio e endireitamento corporal, além da técnica propriamente da caminhada."

Os bastões não se restringem a dar apoio, eles ajudam no impulso para movimentar o corpo. "Por isso, a tendência é a pessoa dar cada vez mais passos por minuto, aumentando a velocidade. Eles são colocados de forma inclinada ao corpo e o movimento dos braços, fazendo a extensão do cotovelo, impulsiona o tronco à frente e assim também movimentam os membros inferiores. Então, são os braços que favorecem o movimento das pernas.   É necessária coordenação cruzada entre membros superiores e inferiores, pé à frente, braço atrás e vice-versa", ensina.

Confira os benefícios desta atividade:

- Maior gasto calórico que a caminhada convencional;

-Aumento da resistência e força muscular;

-Aumento da frequência cardíaca e capacidade respiratória. Exercício de treinamento cardiorespitatório;

-Previne osteoporose, melhorando a densidade óssea global;

-Diminui o impacto articular, podendo ser realizada por pessoas com problemas de coluna, quadril, joelhos, tornozelos e pés;

-Melhora da postura, flexibilidade, coordenação e agilidade;

-Bom para indivíduos diagnosticados com depressão. Ajuda na saúde mental, por proporcionar atividade em grupo e em contato com a natureza, modificando seu perfil de humor;

-Ajuda no controle do colesterol, triglicérideos e açúcar, por ser uma marcha potencializada;

-Condiciona o corpo para atividades esportivas;

-Reduz tensão nas costas, pescoço e ombro;

-Ajuda na reabilitação de contusões;

-Reduz o estresse;

-Melhora equilíbrio e estabilidade. Atividade saudável do ponto de vista da segurança, proporcionando mais estabilidade para andar, em superfícies irregulares, mesmo com pessoas de marcha instável, ou déficit de equilíbrio, por problemas visuais, ou por condições diagnosticadas como Parkinson, esclerose múltipla, Alzheimer ou simplesmente associadas ao envelhecimento e com capacidade funcional limitada".