mulher

Acabe com a insônia

103714
shutterstock

Se você se deita e o sono não vem, ou acorda no meio da noite com qualquer interferência externa, e sempre se levanta de manhã com uma sensação de cansaço, como se não tivesse dormido nada, possivelmente você faz parte do grupo de um terço da população brasileira que sofre com a insônia, de acordo com um levantamento realizado pelo instituto Ipsos Public Affairs. São pessoas que não dormem a quantidade de horas que consideram suficientes para descansar. A pesquisa apontou também que as mulheres sofrem mais com a insônia do que os homens. Entre as principais razões, estão a necessidade de dormir tarde e acordar cedo, o estresse e as preocupações do cotidiano.

Segundo o especialista em distúrbios do sono Gerson Köhler, da Köhler Ortofacial e membro da Sociedade Brasileira de Sono, o ideal é ter um bloco de sono contínuo de sete a oito horas, mas isso pode variar de pessoa para pessoa. "De uma forma geral, o número adequado de horas de sono é aquele que faz uma pessoa adormecer em cinco a 10 minutos após deitar-se e acordar na manhã seguinte bem descansada e disposta", diz.

O especialista ressalta que tempo de sono não deve, nunca, ser interpretado como tempo de permanência na cama. Há pessoas que dormem muito e continuam cansadas, mas isso ocorre porque certamente têm inúmeros despertares durante a noite e não têm um sono em bloco, de forma contínua do início (adormecer) até o final (despertar).

A melhor forma de solucionar o problema é buscar suas causas. Os tratamentos devem respeitar também as as diferenças entre homens e mulheres com relação ao assunto, já que de acordo com a literatura médica, o número necessário de horas de sono diário é mais alto para elas.

"Como dois dos fatores que costumam alterar a normalidade do sono são a ansiedade – naqueles que demoram para adormecer – e a depressão – que faz o sono ser descontínuo durante a noite, com despertares frequentes – a moderna medicina do sono costuma prescrever, sempre na dependência de cada caso específico, os ansiolíticos (para ansiedade) e/ou os antidepressivos (para depressão)", explica. Mas há outras alternativas e alguns hábitos que podem ajudar a facilitar o adormecimento e tornar o sono reparador.

Veja algumas dicas:

- Deite-se somente quando o sono chegar.

- Evite produtos e/ou medicamentos que contenham cafeína pelo menos quatro horas antes.

- Tome um banho quente duas horas antes.

- Evite alimentar-se até três horas antes.

- Não faça exercícios físicos em horários muito próximos ao de deitar.

- Não leve problemas pendentes para a cama.

- Evite pequenos cochilos durante o dia.

- Nunca alimente-se, fume ou beba bebidas alcoólicas no meio da noite.