10 motivos para não esquecer de beber água

agua copo jarra 0219 1400x800 0
successo images/Shutterstock

Os médicos sempre reforçam a importância de manter o corpo hidratado. Contudo, com a correria do dia a dia muitas pessoas se esquecem de beber água e isso pode prejudicar o funcionamento do organismo.

Segundo Fábio Cardoso, especialista em medicina preventiva, longevidade e antienvelhecimento, a partir dos seis meses a criança já pode e deve tomar água. Enquanto na adolescência a quantidade recomendada é de um litro por dia e, na fase adulta, dois litros, e o especialista explica por que beber água é importante:

Benefícios de beber água

1. Eliminação de toxinas

A hidratação adequada garante um bom volume de sangue, responsável pelo transporte de nutrientes para as células e eliminação de toxinas. Com mais água no organismo, essas toxinas podem ser devidamente filtradas pelo rim - algo que inclusive contribui para uma diminuição do inchaço do corpo.

"Com o sangue mais fluído, há maior absorção de sais minerais e vitaminas principalmente as do complexo B", completa o especialista.

beber agua corpo 0719 1400x800
fizkes/Shutterstock

2. Regularização do sistema digestivo

De acordo com o especialista, a água auxilia na produção de enzimas digestivas, suco gástrico, saliva e muco de todo o trato digestivo garantindo uma boa digestão e absorção de nutrientes por esse sistema. Além disso, ela também tem um papel fundamental na hidratação das fibras ingeridas com a alimentação, algo que aumenta o volume do bolo fecal e faz com que o intestino funcione direitinho.

Este, inclusive, é outro tópico que está ligado à redução do inchaço e até de peso; quando o intestino está preso e as fibras alimentares não são devidamente hidratadas, é comum que a pessoa sinta certo inchaço, especialmente abdominal. Ao ingerir um bom volume de água, essa condição tende a melhorar - e leva consigo o problema da barriguinha inchada.

intestino regulado relogio 0719 1400x800
iko/Shutterstock

3. Manutenção da temperatura corporal

A ingestão regular de água também contribui para a regulação da temperatura corporal, principalmente durante a realização de exercícios físicos. "A água regula a temperatura do corpo ao absorver e liberar calor pela produção e evaporação do suor", diz Cardoso. Isso, por sua vez, é essencial para que o corpo não fique sobrecarregado durante as atividades.

4. Função renal

De acordo com a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), a doença renal crônica - que ocorre quando os rins começam a se enfraquecer e perder sua função aos poucos de maneira irreversível - afeta 850 milhões de pessoas - e a maior parte dela não sabe disso. Isso porque, em geral, a doença só começa apresentar sintomas quando o rim já está funcionando com menos de 40% de sua capacidade total.

rins corpo humano 0719 1400x800
Magic mine/Shutterstock

Isso, juntamente com problemas como infecções urinárias e outros males relacionados ao funcionamento dos rins, está, segundo informações do Hospital 9 de Julho, ligado a alguns fatores dentre os quais está o consumo de água em quantidade inadequada. Conforme explica Cardoso, o líquido facilita o trabalho de filtragem dos rins, ajudando-o a eliminar toxinas e manter sua função intacta por um período de tempo mais longo.

Aqui, porém, é importante lembrar que a manutenção de uma boa função renal também está ligada a outros bons hábitos além do de garantir um bom consumo de água. Segundo o hospital, praticar exercícios regularmente, evitar o tabagismo e o consumo de bebidas alcoólicas (bem como energéticos) também são fatores que precisam estar presentes na rotina.

5. Prevenção de cálculos renais

Problema bastante comum - especialmente durante as estações mais quentes do ano -, a formação dos cálculos renais, também conhecidos como pedras nos rins, é algo que está diretamente ligado com a ingestão de água. Isso porque as tais pedrinhas se formam a partir de sais minerais que se cristalizam nos rins em determinadas condições.

De acordo com o nefrologista Daniel Rinaldi dos Santos, quando a pessoa não bebe água o suficiente, a urina fica mais concentrada na bexiga, fazendo com que as substâncias que normalmente são expelidas junto com a urina acabem retidas ali, cristalizando e formando então as pedras (que provocam dores frequentemente comparadas às dores do parto).

pedra rins calculo renal 0719 1400x800
Lightspring/Shutterstock

Inclusive, o motivo pelo qual segundo SBN afirma que a incidência de crises por cálculo renal é 20% maior durante o verão está na relação dele com a água. Conforme explica o médico, as pessoas transpiram bem mais quando expostas a temperaturas mais altas, e o consumo de água nem sempre consegue compensar essa perda. Atentar para isso, portanto, é uma forma de evitar este dolorido problema.

É essencial lembrar, porém, que enquanto consumir um bom volume de água todos os dias é uma boa forma de prevenir a formação de cálculos renais, beber o líquido em excesso quando se está com cólicas renais não só não melhora o problema como também pode agravá-lo.

Isso acontece porque, conforme algumas dessas pedras chegam às vias urinárias e as obstruem, a eliminação da urina fica prejudicada - e, quando se bebe muita água nestas condições, o rim filtra a substância e não tem para onde mandá-la. Isso, por sua vez, pode gerar ainda mais dor e desconforto.

6. Prevenção da secura ocular

Ainda que as lágrimas não sejam formadas apenas por água, ela é parte essencial de sua composição. Além da parte “gordurosa” da substância, a água é o que garante a hidratação dos olhos - e, caso essas lágrimas não sejam formadas em uma quantidade adequada, pode haver uma sensação desconfortável de olhos secos e outros problemas oculares em decorrência disso.

dor olhos secura ocular 0719 1400x800
fizkes/Shutterstock

A Síndrome dos Olhos Secos causada pela deficiência na produção de lágrimas pode ter diversas outras coisas além da falta de hidratação do organismo, mas este é, sim, um dos fatores que pode contribuir com o surgimento do problema. Isso porque, da mesma forma que é possível sentir os lábios ressecados quando falta água no corpo, os olhos passam pelo mesmo processo.

Segundo Cardoso, uma produção ideal de lágrimas, por sua vez, faz com que os olhos contem com uma maior proteção contra infecções por vírus e bactéria, tornando-se então mais saudáveis.

7. Saúde dental e bucal

Assim como a água participa da formação das lágrimas, ela também tem parte na fabricação de saliva pelo organismo - e ela está diretamente ligada à uma saúde bucal mais forte. Segundo Cardoso, isso acontece porque ela facilita a mastigação e reduz resíduos alimentares na boca. "A escovação dentária tendo como aliada a quantidade ideal de saliva diminui o risco de aparecimento de cáries", completa o médico.

lingua boca dentes 0918 1400x800
sruilk/shutterstock

8. Água para emagrecer

Por diversos motivos, um bom consumo de água está relacionado à manutenção do peso e até ao emagrecimento. Isso porque, como beber bastante água impulsiona a eliminação de toxinas pelo corpo e regula o intestino ao hidratar as fibras alimentares, ela acaba por ter um papel importante na redução do inchaço corporal - algo que ajuda a dar uma secada a mais no corpo.

Além disso, um consumo de água nas quantidades adequadas também ajuda a emagrecer porque, segundo Cardoso, o centro da fome e da sede estão localizados na mesma estrutura cerebral, que é o hipotálamo. Sendo assim, garantir uma boa hidratação é uma forma de diminuir a quantidade de comida ingerida, já que a água pode contribuir com a sensação de saciedade.

emagrecer perder peso 1218 1400x800
Billion Photos/Shutterstock

Outra forma de contar com a água para emagrecer está no fato de que, entre as causas mais comuns de ganho de peso está a lentidão do metabolismo, e ela pode ajudar a deixá-lo mais acelerado. Segundo a nutricionista Stephanie Peach, beber água gelada ajuda a emagrecer porque, para metabolizá-la, o corpo tem de manter o líquido em torno de 36,5ºC - processo que requer mais energia por parte do organismo do que na metabolização de água em temperatura ambiente.

Conforme explica a especialista, o ideal para obter esses resultados é beber entre oito e dez copos de água gelada todos os dias. É importante lembrar, porém, que nenhuma técnica é milagrosa e, para perder peso, é essencial manter uma alimentação equilibrada em combinação com a prática regular de atividades físicas e, sempre que possível, acompanhamento médico.

9. Saúde das articulações

Para que o corpo mantenha sua mobilidade, é necessário preservar os tecidos - especialmente as cartilagens e articulações. Isso porque, conforme elas se desgastam (seja pelo motivo que for), o processo provoca dores e começa a progressivamente limitar os movimentos do corpo.

articulacao joelho 0717 1400x800
Jan-Otto/iStock

Segundo Cardoso, porém, manter um consumo adequado de água está entre as formas de combater esse desgaste precoce; conforme explica o especialista, a água combina-se a moléculas viscosas para formar fluidos lubrificantes que contribuem com a saúde das articulações e, consequentemente, do corpo de forma geral.

10. Transformação da pele

Assim como qualquer tecido do corpo, a pele precisa de água e, quando a hidratação que vem de dentro não é suficiente para mantê-la saudável, nem todos os cremes do mundo farão com que ela fique mais viçosa. Com um consumo adequado de água, ela normalmente fica mais macia, radiante e, como a água ajuda a eliminar toxinas do corpo, é possível que até aquelas espinhas ocasionais apareçam com uma frequência menor.

pele bonita mulher espelho 0719 1400x800
wavebreakmedia/Shutterstock

Qual o risco de beber pouca água?

Quando não bebemos uma quantidade adequada de água, é comum que o corpo entre em um processo de desidratação - algo que pode gerar desde sintomas pouco perigosos (como secura labial e da pele) até um mal-estar geral e o colapso do organismo. Quando as funções do corpo ficam desreguladas, a pessoa sente sede, fadiga e dores de cabeça - quadro que tende a evoluir para algo pior.

Conforme o organismo perde água sem que haja sua reposição adequada, o volume de sangue circulando pelo corpo diminui, fazendo com que a pressão arterial caia e ocasionando desmaios ou até problemas mais complicados para quem já possui histórico de condições cardiovasculares. Além disso, quando o volume sanguíneo cai, substâncias como potássio e cálcio ficam mais concentradas, e isso pode gerar arritmia cardíaca.

desidratacao sede dor cabeca 0719 1400x800
fizkes/Shutterstock

Com menos água, a produção de suor também acaba ficando desregulada e o organismo passa a ter dificuldades em manter a tempera corporal como ela deve estar. Isso, por sua vez, pode fazer com que o paciente apresente sintomas como náuseas, tontura e até um coma caso o problema não seja devidamente regulado.

Como já explicado anteriormente, uma menor ingestão de água também está ligada a uma maior concentração de sais minerais nos rins e na bexiga, algo que favorece sua cristalização e a consequente formação de pedras no trato urinário.

Quanta água devemos beber por dia?

Ainda que a recomendação geral seja a de tomar dois litros de água por dia, a nutricionista Talitta Maciel explica que isso tem relação com o peso da pessoa - e uma conta bem simples pode te ajudar a descobrir quanta água você deve ingerir diariamente. Para cada quilo, o indivíduo deve tomar 35 ml, então o cálculo consiste em multiplicar seu peso pelo valor mencionado.

Uma pessoa que pesa 70 kg, por exemplo, deve ingerir 2,4 mil ml - algo que se traduz em 2,4 litros de água (a partir da conta 70 kg x 35 ml).

beber agua exercicio 0219 1400x800
KieferPix/Shutterstock

Mais sobre consumo de água