glam

Verdades e mentiras da cirurgia plástica

972

Uma cirurgia cercada por lendas e mistérios. Assim podemos definir a cirurgia plástica, um procedimento de que todos já ouviram falar, mas que ainda gera muitas dúvidas e questionamentos em boa parte das mulheres. Afinal de contas, entregar o corpinho na mão de qualquer um que aparece por aí pode ter conseqüências desastrosas e irreversíveis. Por outro lado, aquela história que a sua amiga contou, jurando que deu errado com a vizinha, pode dar certo com você. Cada caso é um caso. Para não embarcar em canoa furada, procuramos dois especialistas que desmitificaram os segredos da cirurgia plástica.

O primeiro cuidado que se deve ter é com relação à escolha do médico. "Muitos profissionais de outras áreas estão fazendo cirurgias plásticas. Tente saber se o médico é filiado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e, se possível, fale com alguém que já tenha sido operado pelo cirurgião", recomenda Marco Aurélio Pellon, professor do curso de pós-graduação de cirurgia plástica da PUC-RJ. Médicos que fazem muita propaganda também não são muito bem vistos pelos próprios colegas. "Têm alguns que ficam se anunciando e isso não é bom. A nossa prioridade é o bem-estar do paciente, e não o atendimento em série", completa.

Depois de escolhido o cirurgião, é preciso estar atenta a pequenas precauções que devem ser tomadas antes de qualquer tipo de cirurgia plástica. Um dos medicamentos mais populares, a conhecida Aspirina, não deve ser ingerida antes de uma operação. "Este remédio é um antiagregador plaquetário e provoca o aumento de sangramento na paciente. Além disso, isso ajuda no surgimento de esquimoses (pequenas feridas) após a operação. As pessoas que sofrem de enxaqueca devem, nessa época, tomar Tylenol ou Novalgina", aconselha Edmar da Fontoura Lopes, cirurgião plástico e autor do livro "Tudo que você queria saber sobre cirurgia plástica", da editora Objetiva. E se você marcou uma plástica no seu período menstrual, não se preocupe! Somente um tipo de cirurgia não é aconselhável durante a menstruação: "Operação na mama um ou dois dias antes da chegada da menstruação não é bom porque o organismo recebe descargas hormonais, ficando mais propício a sangramentos", adverte Edmar.

Cindy Crawford, Linda Evangelista, Naomi Campbell, Claudia Schiffer. Top models de estilos diferentes, mas com alguma coisa em comum: seios fartos. Essas e outras modelos influenciaram de tal forma a nossa sociedade que, de alguns anos pra cá, "turbinar" os seios virou uma espécie de modismo. No entanto, outro fator parece estar influenciando o alto índice de procura que esta operação tem alcançado: ela deixa cicatrizes quase imperceptíveis. Mas não pense que você vai chegar pro médico e falar: "Doutor, eu quero meio litro de silicone em cada peito!". Há limites. "Próteses mamárias muito grandes criam um aspecto pouco bonito e desarmônico se aplicadas num seio de tamanho muito reduzido", adverte Pellon.

Uma vez colocada a prótese, não vai ser por causa do silicone que os seus seios vão cair. "O seio pode cair em função da idade, nunca por causa do silicone", diz o médico. E...oba! O silicone não tira a sensibilidade das mamas. "Ela não perde nenhuma de suas funções porque a prótese não é colocada dentro da mama, mas entre ela e a musculatura peitoral, de modo que não atinge as terminações nervosas e não prejudica a amamentação", garante o cirurgião. É importante planejar cuidadosamente com o médico o tamanho da prótese a ser colocada, principalmente se você acredita que pode mudar de idéia no futuro. "A prótese pode ser retirada, mas o peito não fica exatamente do tamanho anterior. Ele ficará um pouco mais caído e mais mole, porque houve a distensão da pele e, com a retirada da prótese, não haverá mais nada para enchê-la e mantê-la dura e empinada", alerta.

Há quem fique horas a fio na academia de ginástica, faça 200 abdominais e resultado, que é bom, nada. Nesses casos, só a cirurgia plástica resolve e o nome do procedimento é abdominoplastia. Apesar de sempre deixar uma cicatriz, que dependendo do caso ficará escondida sob o biquíni, o que estará à vista será uma barriguinha reta, lisa e bonita. O sonho de dez entre dez mulheres. Apesar de o pós-operatório ser um pouco doloroso, a garantia de uma silhueta esbelta é animadora. E se a barriga voltar a crescer? "Isso é muito relativo. A cirurgia é definitiva, mas não interrompe o envelhecimento. Então, a barriga não volta, mas pode acontecer, após vários anos, uma nova barriga. Nesse caso, não há o menor problema em se fazer uma nova operação, embora isso raramente seja necessário", explica o doutor Edmar. Outra dúvida comum é se as estrias somem com a plástica. "Normalmente, as estrias são decorrentes da gravidez e estão na parte inferior da barriga. Neste caso, elas sairão porque a pele dessa região é retirada durante a cirurgia. As estrias laterais não somem", lembra Dr. Pellon.

Talvez em nenhum lugar do mundo o bumbum feminino seja tão admirado e valorizado quanto aqui. É uma preferência nacional, uma questão cultural, que faz parte do imaginário erótico de todo o país. No entanto, cirurgias nessa região ainda são cercadas de mistérios e o primeiro deles está relacionado ao tamanho da prótese. "O glúteo não é uma área tão distensível quanto o seio, por isso não se consegue uma variedade de aumento tão grande quanto na cirurgia de mama", explica Marco Aurélio. Outro ponto importante é que nem sempre o bumbum pode ser "levantado". "Isso é relativo. A cirurgia aumenta o volume do bumbum sem exatamente levantá-lo, mas no caso de uma "queda" leve, o próprio aumento provocado pela prótese já dá uma efeito mais empinado", explica Edmar. Para levantar o moral, saiba que a aparência de um bumbum aumentado não é nada artificial. "Mesmo de biquíni não se percebe que uma prótese de silicone foi colocada no bumbum. E se apalparem, também não conseguirão senti-la", garante ele. Mas se a sua intenção é acabar com a celulite, é melhor mudar de tática. "Como a prótese é colocada numa região inferior à do desenvolvimento da celulite, ela não tem o poder de melhorar ou corrigir este problema", ensina Edmar. E, por fim, a melhor notícia: "A cicatriz é tão discreta que nem mesmo a nudez revela. E o bumbum não murcha", diz.

A lipoaspiração surgiu, no Brasil, na década de 80, como a salvadora da pátria – o milagre que iria fazer qualquer corpo parecer ter sido esculpido por Rodin, como num passe de mágica. Hoje, ela é uma poderosa aliada de quem vive às voltas com regimes e eternas sessões aeróbicas, sem, entretanto, alcançar o corpo que pediu a Deus. Com uma vantagem: para a alegria geral da nação de gordinhos, apresenta uma margem de risco próxima a zero. Mas engana-se quem pensa que a lipo é a solução definitiva para a obesidade. "Ela é indicada para homens e mulheres que tenham gordura localizada e não generalizada. Ou seja, não é um processo de emagrecimento que pode substituir dietas e exercícios", alerta Pellon. Uma vez feita a lipoaspiração, a gordura retirada não volta mais. "As células gordurosas aumentam de tamanho, não de número. Se a mulher comer muito vai engordar, porém bem menos, porque após a lipo ela possui um número menor de células gordurosas. A "escultura" é definitiva por, pelo menos, dez anos. No entanto, fatores genéticos podem fazer com que, depois de algum tempo, o organismo vá progressivamente depositando gordura numa região específica do corpo. O culote da mulher é uma área em que isso acontece com maior freqüência, mas basta uma nova lipo para garantir mais dez anos de beleza", afirma Edmar.

Muitas pessoas garantem que é pelo olhar que se descobre a essência da pessoa e que os olhos são o espelho da alma. Por isso, eles devem estar bem abertos, claros e luminosos. Isso é o que a blefaroplastia garante. Mais conhecida como cirurgia de pálpebras, ela recupera a expressão e o magnetismo dos olhares que andam escondidos por pálpebras caídas, retirando o excesso de pele. Extremamente delicado, requer sensibilidade e destreza do cirurgião. Embora o olho fique um pouco inchado nos primeiros quatro dias após a cirurgia, a cicatriz some em pouco tempo. "Duas semanas após a operação, já não se vê nenhuma marca, só se chegar pertinho e procurar muito", garante Edmar. Outra lenda que cerca a cirurgia de pálpebras é a possibilidade de prejudicar a visão. "Não prejudica de forma nenhuma. Entretanto, após as primeiras 48 horas, o paciente não deve assistir televisão e nem ler porque força a musculatura ocular e pode provocar um edema", alerta Marco Aurélio. Uma das vantagens, além dos resultados, é que não há a necessidade de internação. Além disso, a anestesia é local e, se você operar numa sexta-feira, na segunda já pode voltar ao trabalho.

Agora não tem mais mistério! Lembre-se de que a cirurgia plástica, além de deixar o seu corpinho uma beleza, é uma excelente massagem no ego e no bem-estar. Mas, antes de se submeter à ela, pense bem se é isso o que você quer, porque de nada adianta o exterior estar belo se o interior não está em harmonia.

Agradecimentos:

Dr. Edmar da Fontoura Lopes - Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, do Colégio de Cirurgiões e da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética

Clínica Plástiquê - Rua Visconde Silva, 85 – Botafogo - RJ

Tel.: (21) 2539-2070

Dr. Marco Aurélio Pellon - Professor do curso de pós-graduação de Cirurgia Plástica da PUC-RJ e Fundação Carlos Chagas

Rua Visconde Silva, 52/802 – Botafogo – RJ

Tel.: (21) 2266-6262