glam

Peeling: o que é e como funciona

peeling tipos de peeling renovacao celular
Thinkstock

Para ter uma pele saudável e com aparência jovem é preciso renovar as células da pele. Segundo Joyce Rodrigues, farmacêutica bioquímica e cosmetóloga, o peeling é o procedimento que acelera a renovação celular, que normalmente acontece a cada 21 ou 28 dias. "A diferença entre os diferentes tipos de peeling são os princípios ativos", explica.

Leia também

Máscara caseira para pele oleosa combate cravos e espinhas

Limpeza de pele: como fazer?

Hidratação da pele: como agem os cosméticos e qual o melhor para você

Tipos

Existem os peelings cosméticos, que podem ser feitos por profissionais de estética por serem mais leves e superficiais, e os cirúrgicos ou médicos, que exigem anestesia, internação e repouso. "Os cosméticos precisam ser aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) porque ela determina o tipo e a quantidade de ácidos que podem ser usados", explica a especialista.

O peeling cosmético pode ser físico ou químico. No procedimento (ou mecânico) a ação na epiderme se dá por atrito mecânico na camada córnea com a ajuda de substâncias abrasivas. Já o peeling químico é realizado com a ajuda de substâncias que renovam as células, como os ácidos orgânicos. Há ainda os peelings biológicos – nos quais são utilizadas enzimas – e os ablasivos, realizados com o auxílio de laser.

Tipos de ácidos

Ácido glicólico: é um dos mais utilizados nos procedimentos de peeling. Tem o menor peso molecular dentre as substâncias utilizadas, por isso atravessa a pele mais facilmente. "É muito usado em pessoas que querem rejuvenescer ou de combater manchas", diz a especialista.

Ácido mandélico: penetra mais lentamente na pele, provocando menos efeitos adversos. "É o mais indicado para pele negra", avalia a especialista.

Acido lático: pode ser usado para peeling ou como hidratante.

Ácido salicílico: específico para o tratamento de acne porque remove os lipídios intracelulares.