glam

Inverno é período ideal para cirurgias plásticas

cirurgia plastica inverno

O próximo verão ainda está longe, mas para os que quem quer chegar lá com o corpo em dia, o inverno é a época certa de começar a se preparar. Especialmente quando se tratam de cirurgias plásticas, já que a estação fria é considerada ideal para se submeter a um procedimento cirúrgico, por ser um período em que passam mais tempo dentro de casa, sem expor o corpo ao sol. De acordo com ocirurgião plástico Marcelo Daher, da Interclínica-Centroplástica, nos períodos mais frios do ano há um aumento de cerca de 50% na procura por operações. Isso se deve ao fato de a temperatura estar mais amena, ajudando na recuperação e diminuindo o inchaço (edema), além de coincidir com as férias escolares.

Leia também:

Lifting mamário: mitos e verdades sobre a técnica

Excesso de pele após cirurgia bariátrica é eliminado com plástica

Médica dos famosos ensina segredos para exterminar gordura localizada

A preocupação não está somente com a cirurgia em si, mas sim no pós-operatório. As cirurgias nos seios, abdômen e lipoaspiração, por exemplo, exigem o uso da cinta durante dias ou até mesmo meses, o que pode incomodar nos dias quentes de verão. Além disso, a pele também não fica tão exposta aos raios solares.

As cirurgias mais procuradas nessa estação são as de corpo, embora as de face também continuem sendo solicitadas. Entre as de maior procura, segundo o médico, estão a lipoaspiração e a plástica de rejuvenescimento facial e das pálpebras. "O inverno é considerado a época ideal para a realização de cirurgias plásticas, já que a paciente necessita de 30 a 45 dias para uma recuperação inicial", diz.

Mas antes de optar por um procedimento cirúrgico, é necessário pensar bem e consultar um bom médico, que possa dar as melhores orientações, para que não haja nenhum tipo de problema ou arrependimento. "A operação plástica é gratificante quando o paciente e seu médico estão em sintonia na correção de algo que aflige a pessoa. É papel do médico analisar e apontar os prós e contras da operação e se está realmente indicada", afirma.