glam

Excesso de açúcar causa envelhecimento da pele

acucar faz mal para pele envelhecimento glicacao

consumodeaçúcar faz mal não só ao corpo, mas também é prejudicialàpele. É a chamada gligação, que causa um endurecimento e degradação dos tecidos de suporte da pele e danos nas fibras dérmicas. "A derme perde progressivamente a sua elasticidade e tonicidade, favorecendo o aparecimento de rugas na superfície", explica o dermatologista Júlio César Nogueira, do W Spa, no Rio de Janeiro.

Leia também:

Como cuidar das manchas na pele

Esfoliação em excesso ou feita do jeito errado pode ferir a pele

Pelo encravado: 8 maneiras de acabar com o problema

As proteínas da pele mais propensas à glicação são as mesmas que fazem a pele jovem ficar bem preenchida e fresca: o colágeno e elastina. Como não existem estudos suficientes para estabelecer a quantidade de açúcar que é capaz de piorar o processo, a melhor solução é prevenir, diminuindo a quantidade. "O açúcarbranco é um alimento altamente processado e calórico, sem nenhum valor nutricional, o que chamamos de calorias vazias. O mel é um alimento com propriedades mais benéficas àsaúde, mas não podemos esquecer que o mel é rico em carboidratos e devemos consumir com moderação, lendo sempre o rótulo para identificar a presença de aditivos nos ingredientes", alerta a nutricionista Marcela Frias, da Clínica Dicorp, no Rio de Janeiro.

Alimentos que fazem bem à pele

Outro ponto importante, segundo a nutricionista, é adotar uma dieta rica em alimentos que atuam como antiglicantes, como os antioxidantes, que protegem o organismo dos radicais livres, e os anti-inflamatorios. "É bom investir também em alimentos que auxiliam na produção do colágeno e que ajudam a combater o envelhecimento da pele, como romã, kiwi, laranja lima, acerola, tangerina, limão, abacaxi, melão, vegetais verdes escuros, frutas vermelhas, beterraba, cenoura, abóbora, tomate, peixes, linhaça, semente de chia, aveia, castanhas, temperos como açafrão, cravo, noz moscada, pimenta vermelha, hortelã, salsa, orégano, alecrim e alho", sugere.

Idade em que a pele começa a envelhecer

De acordo com o dermatologista, os sinais externos da glicação aparecem a partir dos 30 ou 35 anos. Ele explica que, com a idade ficando mais avançada, há mudanças nos processos metabólicos, o que leva a uma probabilidade maior da glicação ocorrer. "Isso se deve, principalmente, à redução da capacidade antioxidante do organismo com a idade. Por isso, a construção de novos hábitos alimentares, associados a um estilo de vida saudável podem ser considerados fatores anti-idade, pois irão fornecer mais antioxidantes ao sistema, responsáveis por combater as toxinas e evitar os processos inflamatórios", afirma.

Cremes anti-idade

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] Cosméticos antiglicantes são aliados da pele (Crédito: Thinkstock)

Para combater os efeitos da glicação, a indústria cosmética oferece diferentes princípios ativos. Um dos mais utilizados é o ácido hialurônico, presente na matriz extracelular da pele. "Ele garante o volume, firmeza cutânea e elasticidade, que se perdem ao longo dos anos e com o consumo de alimentos como o açúcar, além de reduzir o aparecimento de rugas", explica o dermatologista. Há ainda outros ativos como o ácido hialurônico fracionado (ligado ao silício orgânico) e sculptessence (extraído da linhaça selvagem, rico em xilose).

O vídeo tem mais dicas para prevenir e reduzir os sinais do envelhecimento: