mulher

Existe idade limite para tratamentos de fertilização?

idade limite tratamento fertilizacao
idade-limite-tratamento-fertilizacao

Mariana Bueno

Do Bolsa de Mulher

A evolução das técnicas de reprodução assistida nos últimos anos fez com que muitas mulheres acreditassem que, com a ajuda da medicina, poderiam a qualquer momento realizar o sonho da gravidez, o que não é verdade. "Muitas mulheres em torno dos 40 anos chegam ao consultório convictas de que conseguirão uma gravidez sem obstáculos devido aos avanços das técnicas de reprodução assistida. Mas, infelizmente, esse é um privilégio para pouquíssimas", afirma a médica especialista em reprodução humana Fernanda Rodrigues, do Grupo Huntington.

Leia também:

9 coisas que você deve saber sobre infertilidade

Como aumentar as chances de engravidar

Congelamento de óvulos: por que fazer?

Idade x Gravidez

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] Thinkstock

Ela explica que a medicina reprodutiva realmente desenvolveu técnicas que possibilitam a gravidez em idade mais avançada. No entanto, a partir dos 35 ou dos 40 anos, há uma reserva de óvulos diminuída, o que reduz também a expectativa de gravidez. já que a mulher não produz novos óvulos ao longo da vida. "Quando fazemos a fertilização, tentamos recuperar o máximo de óvulos disponíveis no ovário e essa quantidade depende da reserva de cada uma. Não é possível formar óvulos novos", diz.

Apesar do pico de fertilidade na mulher acontecer entre os 18 e 28 anos de idade, a médica diz que é possível observar uma redução mais significativa das chances de engravidar após os 35 anos. "Por esse motivo, é importante que a mulher busque a gravidez antes dessa idade. Caso ela tenha outras prioridades antes da maternidade, que geralmente se concretizam ao longo prazo, como a carreira ou um relacionamento amoroso estável, é aconselhável que ela se informe sobre como preservar a fertilidade até que esteja realmente pronta para engravidar", aconselha.

O tratamento fica mais difícil depois de carta idade não só pela menor quantidade de óvulos, mas também porque, com o passar do tempo, os óvulos têm sua qualidade diminuída, o que se reflete em erros de divisões genéticas, formação de embriões com baixo potencial de gestação, abortamentos e, principalmente, falhas de implantação e não sucesso do tratamento.

Idade limite para fertilização

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] Thinkstock

Em maio de 2013, o Conselho Federal de Medicina publicou a Resolução CFM 2013/13, que revogou a anterior e trouxe algumas modificações nas orientações quanto às técnicas de reprodução assistida. A nova Resolução orienta que as técnicas de reprodução assistidas podem ser realizadas desde que exista uma possibilidade efetiva de sucesso e a idade máxima permitida é 50 anos, mesmo com óvulos doados. "Antes não havia limite de idade para realizar tratamento de fertilização e um número excessivo de mulheres realizavam com baixa probabilidade de gravidez devido à idade. Por conta disso, associado ao aumento do risco obstétrico na idade mais avançada, o limite de idade é uma inovação do resolução atual", diz.

Riscos do tratamento de fertilização

De acordo com a médica, os riscos da fertilização, de um modo geral, são baixos. "A gestação múltipla é a que se observa mais frequentemente, porém sempre depende do número de embriões que é transferido para dentro do útero", explica.

Existe também o risco de hiperestimulação ovariana, devido ao uso dos hormônios em doses mais altas para induzir a ovulação. Nesse caso, o ovário da paciente responde de maneira exacerbada as gonadotrofinas (medicações injetáveis para estimular ovulação). E, embora as formas leves e moderadas da síndrome de hiperestimulacao ovariana sejam mais frequentes, em alguns casos raros ela pode se desenvolver de forma mais grave, com aumento exagerado dos ovários, acumulo de líquido no abdome e necessidade de internação hospitalar.

Como funciona a coleta de óvulos

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] Thinkstock

O procedimento de coleta de óvulos, apesar de simples, é um procedimento cirúrgico e como tal, há riscos de complicações como sangramento, infecção, etc. Mas a médica diz que essas complicações são muito raras. "Os riscos obstétricos e riscos de síndromes e malformações dos embriões são os mesmos de quem engravida espontaneamente  e estão relacionados com a idade da mulher".

Gravidez após os 40

A médica diz que mesmo que as chances de engravidar em torno dos 40 sejam menores, a mães em potencial não devem perder as esperanças. "Cada organismo tem suas particularidades.  O ideal é que se busque um especialista para haver o diagnóstico mais preciso e o apontamento de quais tecnologias existem para chegar à gravidez a partir do atual estado das funções reprodutivas", afirma.