mulher

Alimentação e técnicas de reprodução interferem na fertilidade

alimentacao interefe fertilidade
alimentacao-interefe-fertilidade

Os motivos pelos quais um casal tem dificuldade de engravidar são muitos: problemas de ovulação, queda na quantidade de espermatozoides, endometriose, ovários policísticos e idade.

Leia também:

Tudo sobre os indutores da ovulação

Ciclo menstrual irregular pode ser sinônimo de infertilidade

Como calcular a gravidez

As diversas funções e responsabilidades assumidas pelas mulheres acabam deixando a maternidade em segundo plano, mas nem todas percebem que a fertilidade feminina diminui com o passar dos anos.

O especialista em Reprodução Humana do Hospital e Maternidade Santa Joana, Vamberto Maia Filho, explica que a mulher nasce com uma determinada quantidade de óvulos, que vai diminuindo e perdendo qualidade ano após ano. ‘’Isto é absolutamente natural, mas o problema é que se a mulher postergar muito sua primeira gestação, isto pode ser determinante. Acredito que uma faixa de idade perfeita para engravidar seja entre os 30 e 35 anos’’, diz o especialista.

Alimentação interfere na fertilidade

Manter uma alimentação saudável durante a vida contribui para a boa saúde e a falta de alguns pode comprometer diretamente a fertilidade. A gordura participa da produção dos hormônios sexuais, por isso, dietas muito restritivas comprometem as chances de engravidar.

As gorduras também colaboram para o aproveitamento das vitaminas A, D, E e K, que são fundamentais para o bom funcionamento do organismo e, consequentemente, para a saúde dos óvulos.

O fumo também tem uma infinidade de elementos químicos que interferem no funcionamento das células que são responsáveis pela movimentação de óvulo e espermatozoides dentro do sistema reprodutivo. Já o álcool, por alterar o metabolismo e funcionamento do fígado, também compromete a ação dos hormônios no corpo da mulher.

Técnicas de fertilização

Não há uma maneira de aumentar a fertilidade de uma mulher, mas já é possível avaliar a reserva ovariana através de exames específicos. Se confirmada a baixa quantidade de óvulos ou ainda outros problemas, o casal pode recorrer aos tratamentos de fertilização, que se dividem em baixa e alta complexidade.

Nos tratamentos de baixa complexidade, o espermatozoide irá se encontrar com o óvulo dentro do organismo feminino, com uma, com uma ajuda discreta. Existe a possibilidade de programar as relações sexuais (coito programado), ajudar a mulher a produzir mais óvulos com a administração de indutores da ovulação (estímulo ovulatório) ou mesmo colocar os espermatozoides diretamente dentro do útero (inseminação intrauterina).

Nos de alta complexidade, o encontro dos gametas acontece fora do organismo e recebe o nome de fertilização in vitro. Nesse método, apenas os melhores embriões são devolvidos ao útero para alcançar a gravidez.