Pensão alimentícia dos filhos: como negociar da melhor forma com 7 dicas

pensao alimenticia filhos como negociar
Thinkstock

valor da pensão alimentícia e a forma como será paga são assuntos frequentes na vida dos casais que têm filhos, mas que se separaram. A negociação muitas vezes é demorada e, em alguns casos, não acontece de forma pacífica, dificultando ainda mais um momento que costuma ser naturalmente complicado. 

Leia também:Como explicar aos filhos sobre a separação dos paisComo superar a separação e dar a volta por cimaGuia do divórcio: tire todas as dúvidas antes de se separar

Para passar por essa fase de forma mais tranquila, os advogados Adriano Ryba e Ana Carolina Silveira, especializados na área de família, listaram algumas dicas que podem ajudar a negociar a pensão dos filhos.

[[{"fid":"118998","view_mode":"default","fields":{"format":"default"},"type":"media"}]]

Faça uma lista com todos os gastos do filho, separando-os por despesas exclusivas (mensalidade da escola, uniformes, transporte escolar, etc), despesas comuns da casa (aluguel, luz, internet, supermercado, mas tudo de forma proporcional) e despesas variáveis (viagens, lazer, presentes). A negociação deve acontecer em cima desse cálculo.

[[{"fid":"119000","view_mode":"default","fields":{"format":"default"},"type":"media"}]]

Se a negociação for feita em cima de um percentual da renda dos pais, o cálculo deve ser o seguinte: some a renda do pai e da mãe, desconte o imposto de renda e a previdência social e faça uma regra de três com esse total, sendo o valor da renda total dos pais 100% e a despesa total da criança é X por cento.

[[{"fid":"119001","view_mode":"default","fields":{"format":"default"},"type":"media"}]]

Caso o pai não tenha renda fixa ou não seja possível demonstrar quanto ele ganha, o padrão de vida - carro que possui, viagens que faz, etc - será suficiente como prova, já que para manter é preciso de alguma fonte de renda.

[[{"fid":"119003","view_mode":"default","fields":{"format":"default"},"type":"media"}]]

Mesmo que ele não tenha carteira assinada e receba como autônomo ou prestador de serviços, uma ordem judicial pode ser pedida caso se recuse a pagar o que deve, fazendo com que o juiz determine um determinado valor mensal a ser retido de qualquer pagamento feito em benefício do pai.

[[{"fid":"119005","view_mode":"default","fields":{"format":"default"},"type":"media"}]]

Se os pais optarem pela guarda compartilhada, a pensão não é obrigatória. Mas é possível estipular um valor a ser pago como ajuda de custo, especialmente quando há diferença na renda dos pais e no tempo em que ficam com o filho.

[[{"fid":"119007","view_mode":"default","fields":{"format":"default"},"type":"media"}]]

Gastos eventuais como remédios, exames e consultas médicas, entre outros, devem ter os recibos guardados, pois eles podem ser necessários em caso de processo ou outras situações futuras.

[[{"fid":"119008","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_alt_text[und][0][value]":"","field_file_image_copyright_overriden[und][0][value]":"Thinkstock","field_source_url[und][0][value]":"","field_source_id[und][0][value]":"","field_source_name[und][0][value]":"","field_file_image_description[und][0][value]":"Mas o mais importante é ter consciência de que o sentimento dos filhos não devem ser usados para influenciar a negociação. "Quem tiver instrumentos jurídicos para deixar o outro em uma situação desconfortável, forçará dele uma proposta de acordo mais vantajosa. O que jamais deve servir de barganha é o sentimento dos filhos e sua vontade de conviver com o outro pai", finalizam os advogados."}}]]