mulher

Sangramento na gravidez é sinal de alerta: veja 10 motivos

sangramento gravidez sangue
sangramento-gravidez-sangue

O sangue naturalmente parece despertar nossas antenas a procura de algum perigo. Esse líquido precioso que corre em nossas veias carrega a possibilidade da vida e perdê-lo costuma ser motivo de medo.

Leia também

Tratamentos estéticos permitidos na gravidez

Suplementação alimentar deve ser evitada na gravidez

Fibra ajuda a reduzir riscos na gravidez

Durante a gestação, tudo fica potencializado ao mesmo tempo em que a tranquilidade é o estado de espírito mais recomendado. Segundo o Ginecologista e Obstetra, Domingos Mantelli, é papel fundamental do médico manter a gestante bem informada, assim como é dever da mulher entrar em contato com seu obstetra para esclarece qualquer dúvida, principalmente se estiver associada a sangramentos.

"Alguns sangramentos podem ser normais, mas só quem pode descartar o risco da situação é o obstetra. Qualquer sinal de sangramento durante a gestação é motivo para preocupação e é preciso buscar avaliação médica imediatamente", afirma o especialista. Saiba o que pode estar por trás do acontecimento.

Sangramento na gestação: o que pode ser?

Nidação

Segundo Mantelli, até a quarta semana é natural que ocorra algum sangramento como resultado da nidação. "Durante a implantação do embrião pode ocorrer rompimento de vasos sanguíneos e por isso um leve sangramento", explica o obstetra. Não há motivo para se alarmar, mas é bom comunicar o seu médico.

Sangramento vaginal

No período inicial da gravidez a ocorrência de qualquer sinal de sangue pode ser preocupante e só o exame médico pode descartar a hipótese de ele estar vindo de dentro do útero ou desvendar as outras possíveis causas do transtorno.

Sangramento após o sexo

Não há motivo para evitar as relações sexuais durante a gestação, mas é possível que aconteça algum sangramento em função da fricção e da penetração. Além disso, durante esse período o cólon do útero fica mais sensível e vasos sanguíneos podem ser rompidos. Mas, mais uma vez, apenas o diagnóstico médico e a realização de exames, como ultrassom, podem descartar outras causas além do que pode ser considerado normal para o caso.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] É preciso consultar o obstetra quando houver sangramento / Crédito: Thinkstock

Sensibilidade no cólon do útero

Feridas nas paredes do cólon do útero podem surgir e sangrar eventualmente. Dentro da normalidade, ele inicia e cessa espontaneamente. Quando isso não acontece, pode ser necessário cauterizar as feridas para estancar o sangramento. Somente o médico tem condições de identificar os melhores procedimentos.

Sangramento da primeira metade da gestação

Em alguns casos a gestação é inviável e naturalmente acaba evoluindo para um aborto. Esse sangramento pode ser bastante grave porque coloca em risco a saúde da gestante se não é diagnosticado adequadamente.

Gravidez fora do útero

Segundo o especialista, o principal sintoma de gravidez fora do útero é o sangramento. Este tipo de gravidez oferece sérios riscos à gestante, principalmente se estiver alojada nas tubas uterinas por isso precisa ser investigado o mais cedo possível. A partir de um ultrassom o obstetra diagnostica o caso que poderá ser tratado através de medicação ou de intervenção cirúrgica.

Sangramento na segunda metade da gestação

Eventualmente a placenta pode acabar se fixando numa parte mais baixa do útero. Está entre os sangramentos mais graves porque se não for contido pode levar à morte, tanto a mãe quanto o bebê.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] Sangramento na segunda metade da gestação está entre os mais perigosos / Crédito: Thinkstock

Deslocamento prematuro de placenta

Com a evolução da gestação o sangramento pode significar descolamento de placenta. A gravidade pode ser maior ou menor, dependendo da dimensão desse descolamento. Qualquer sangramento nesse período é sinal de alerta e precisa ser imediatamente investigado sob pena de colocar em risco a vida da mãe e do filho.

Sangramento do encaixe

A medida que o ciclo dos nove meses vai se fechando, o bebê também começa a providenciar os últimos preparativos, entre eles, encaixar-se com a cabeça virada para baixo para sair pelo canal vaginal durante o parto. Nesse período, por volta da 39º semana de gestação, além do encaixe começa a ocorrer a saída do tampão mucoso do cólon uterino. Esse sangramento é leve e intermitente. Mesmo não representando perigo, deve ser comunicado ao médico.

Sangramento durante o trabalho de parto

Durante o trabalho de parto ainda pode ocorrer algum sangramento, mas é provável que esteja associado a todo movimento de expulsão que o organismo da mulher realiza. Dificilmente é grave, mas só a avaliação do obstetra é que poderá afirmar.