Alimentação saudável na gravidez

alimentacao saudavel gravidez
alimentacao-saudavel-gravidez

Os especialistas recomendam que o ganho de peso durante a gestação não ultrapasse 12 quilos e não seja inferior a nove quilos. Portanto, você precisará de uma dieta especial nesse período. "A gestante precisa de energia para manter suas atividades metabólicas e se ajustar às novas demandas da gravidez. Já o bebê precisa dos nutrientes ingeridos pela mãe para a correta formação de seus órgãos e o bom crescimento ósseo", esclarece a nutricionista funcional Patrícia Davidson.

Leia também:

Autoestima na gravidez

Voltando à forma: controlando a boca nervosa

Pai: pelo direito de ser coruja

Consumo proibido:

- Fígado: É o orgão onde os animais metabolizam os medicamentos e as toxinas.

- Refrigerantes ou bebidas contendo cafeína: Podem provocar contrações uterinas e perdas fetais.

- Chás: Diversos chás e plantas são contra-indicados durante a gestação já que podem ser abortivos.

- Produtos industrializados como gelatina, sucos de caixinha ou latinha: Além de serem carentes de nutrientes, são cheios de química: adoçantes, corantes e aditivos que podem passar para o neném.

- Adoçantes ou produtos diet, light e zero: Possuem substâncias que passam para a corrente sangüínea do bebê. Os adoçantes devem ser substituídos por stevia pura ou sucralose.

Alimentos com agrotóxicos: Podem causar intoxicações. Melhor optar por alimentos orgânicos (sem agrotóxicos), que são ricos em nutrientes e reduzem a carga tóxica transmitida para o neném.

- Temperos industrializados (caldos de carne, molho shoyo, etc.): Contêm glutamato monossódico que pode provocar excitabilidade na criança.

- Carnes cruas: Aumentam o risco de contração de doenças como a toxoplasmose.

Consumo restrito:

- Sal: Em excesso pode provocar inchaço e hipertensão (pressão alta).

- Chocolate: Contém açúcar e gordura, componentes que não agregam nutrientes na gestação.

- Gordura, fritura, embutidos e enlatados: Prefira os assados, grelhados e cozidos.

- Manteiga e margarina: Prepare os alimentos com quantidades pequenas de óleo vegetal ou azeite.

- Doces e molhos: Ampliam a sensação de enjôos. Para amenizar o mal-estar, o limão e o gengibre são poderosos aliados.

Consumo liberado:

- Proteínas animal e vegetal: Além da grande oferta de ferro, durante a gestação há maior necessidade de proteína para formação dos novos tecidos do neném e para manter a elasticidade da pele da mãe.

- Vegetais verdes escuros: Fornecem cálcio, magnésio, fibras e ácido fólico.

- Sardinha, salmão e atum: São ricos em ômega-3, fornecem as gorduras essenciais para o desenvolvimento cerebral do feto.

- Frutas e verduras: Fornecem antioxidantes, vitaminas e minerais. Também são fontes de fibras, auxiliando o funcionamento intestinal.

- Líquidos (água, sucos e água de coco): Beba de dois a três litros por dia.

- Cereais integrais: Melhoram o funcionamento do intestino.

- Lembre-se de que de nada adianta a qualidade nas alimentações se você passa horas de jejum. "A recomendação é que sejam feitas pequenas refeições a cada três horas, evitando assim queda dos níveis de energia e pressão baixa", aconselha Patrícia.