mulher

Dieta rica na gravidez fornece saúde ao bebê

dieta saudavel gestacao
dieta-saudavel-gestacao

Manter uma alimentação equilibrada é fundamental em todas as fases da vida, mas especialmente durante o período da gravidez, pois ajuda a evitar doenças, aumentar de peso adequadamente, além de garantir o desenvolvimento saudável do bebê. "Durante a gestação, é preciso encontrar o equilíbrio. Alimentos fontes de açúcar, bem como óleos e gorduras, devem ser ingeridos moderadamente. O excesso de sal e de alimentos como pepino, pimentão, melancia e pimenta, por exemplo, devem se evitados. Café e bebidas alcoólicas não devem ser consumidos", explica o nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

Leia também:

Fibra ajuda a reduzir riscos na gravidez

Amamentar queima calorias e ajuda a emagrecer

Com tratamentos corretos, a futura mãe pode manter a beleza em dia

Ele diz que durante a formação do bebê, o corpo da mãe utiliza uma parte de líquidos e energia oriundos da alimentação. A outra parte da energia fica retida em forma de gordura, sendo utilizada no decorrer da gravidez e do aleitamento. "A gestante não deve pensar em perder peso por estar insatisfeita com os quilinhos a mais, pois isso pode interferir na formação do bebê. Todas as vitaminas são importantes. O ácido fólico, o ferro e o cálcio, por exemplo, são elementos fundamentais para que a gravidez ocorra normalmente", ressalta.

Porém, para que o peso não ultrapasse a normalidade, já que é natural que o consumo de calorias, vitaminas e minerais seja maior entre as grávidas, a gestante deve fazer de seis a oito refeições por dia, com as calorias balanceadas, e dar preferência para frutas, legumes e verduras. "Um jejum prolongado pode causar efeitos nocivos para o feto", alerta.

Uma boa alimentação durante a gestação previne o aparecimento de patologias, mesmo em longo prazo. "Cientificamente, sabe-se que muitas doenças crônico-degenerativas se iniciam no interior do útero. Existe um termo médico chamado programming que mostra evidências clinicas da desnutrição ou da superalimentação durante o período gestacional, e que gera doenças no adulto", finaliza.