mulher

Como lidar com uma mãe que perde um bebê: tirinhas muito sensíveis mostram

A união de três páginas do Facebook resultou em uma campanha muito importante. Com o apoio do "Do Luto a Luta: apoio a perda gestacional" e do "Temos que falar sobre isso", canais que falam sobre dilemas complexos da maternidade, incluindo a morte de bebês, Julianna Rodrigues, autora do Projeto Família em Tiras, que retrata cenas cotidianas sobre vivências com crianças, criou uma série de tirinhas mostrando como é e como deveria ser a recepção e tratamento de famílias que perderam uma gestação ou um bebê recém-nascido.

Veja também:Infecção urinária na gravidez por causar aborto espontâneoDescobri que meu bebê tem uma doença grave. E agora?Pai faz apelo comovente a grávidas ao falar de doença do filho: veja o que aconteceu

Perda gestacional ou neonatal

O projeto é de grande relevância porque a comunicação de más notícias ainda é um problema dentro de clínicas e hospitais. De acordo com estudo apresentado no Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia, os profissionais de saúde ainda não conseguem lidar com a questão e, por isso, ou a tratam de forma fria e pouca empática ou fogem da situação e terceiram a responsabilidade.

O impacto, além de gerar traumas e falta de informações, está diretamente relacionado à forma como os familiares vivenciarão o luto.

Além do corpo clínico, muitas vezes amigos e familiares não sabem o que falar e como confortar os pais naquele momento. É nesse sentido que as tirinhas podem ser de grande valia. Afinal, elas trazem, de um lado, a forma como as pessoas atualmente lidam com pais que acabaram de perder uma gestação ou um bebê e, de outro, como deveria ser esse tratamento.

De acordo com Julianna, sua intenção é mostrar a importância do acolhimento atencioso e cuidadoso fazendo com que o luto, ao ser reconhecido, autorizado e legitimado, seja superado de forma saudável e menos traumática.