Como escolher o pediatra do meu filho?

como escolher pediatra do seu filho 1

saúde dos filhos é prioridade na vida dos pais. E, para isso, eles precisam contar com o auxílio de um bom médico pediatra, que irá acompanhar a criança por muitos anos. É preciso que haja total confiança, é claro, mas há também outros fatores a serem considerados na hora de fazer essa escolha.

Leia também:Pediatra esclarece dúvidas de mamães de primeira viagemPrimeiros cuidados com o bebê recém-nascidoQual o jeito certo de limpar ouvidos, orelha, nariz e coto umbilical dos bebês?

Segundo o pediatra Sylvio Renan Monteiro de Barros, autor do livro "Seu bebê em perguntas e respostas", a escolha do médico do bebê deve ser realizada já no início da gestação. "Pesquise, converse, peça indicações aos amigos e parentes e se possível até agende uma consulta antecipada. O feeling materno costuma ter grande peso na escolha assertiva do profissional", diz.

Dicas para escolher o pediatra

Um bom indicativo para os pais é a paciência do médico com eles, especialmente quando são inexperientes ou marinheiros de primeira viagem. Analisar o currículo do pediatra e verificar se ele tem conhecimento amplo das doenças infantis também é importante. 

como escolher pediatra do seu filho 3
Thinkstock

Outra dica é observar o ambiente da clínica ou consultório, que deve ser adaptada às necessidades dos pequenos pacientes, com todo o material necessário à assistência geral aos bebês, crianças e adolescentes.

Mas nada disso adianta se a localização do consultório for ruim. "Considere a distância entre sua casa e o consultório, pois de nada adianta ter um bom pediatra localizado a dezenas de quilômetros, que dificultaria o atendimento em casos de emergências", diz.

Ele sugere também informar-se também sobre a disponibilidade de acesso pessoal e virtual ao médico em momentos de necessidade extra consulta. E fatores como atenção, dedicação e carinho dos demais colaboradores que atuam no consultório fazem muita diferença.

como escolher pediatra do seu filho 2
Thinkstock

Por fim, o médico ressalta a importância de haver empatia entre os pais e o pediatra, e também entre bebês/crianças. "Pessoalmente, posso dizer o quanto esta relação é importante, já que 75% dos meus atuais pacientes são filhos de antigos pacientes", finaliza.