Usar tablet demais causa miopia em crianças

crianca tecnologia tablet miopia think154091602
crianca-tecnologia-tablet-miopia-think154091602

A tecnologia é uma maravilha para entreter os filhos e conseguir um pouquinho de folga para cuidar de outras tarefas. Contudo, aparelhos eletrônicos não são essa maravilha toda. Isso porque, se usados com muita frequência, eles podem fazer mal aos olhos dos pequenos, causando miopia e outros problemas visuais.

"A geração atual está desenvolvendo miopia, que é a dificuldade para ver de longe, mais precocemente e em graus muito maiores do que as gerações anteriores", alerta a oftalmologista pediátrica e consultora do Consulte Aqui, Dra. Rosane da Cruz Ferreira.

O que é miopia infantil

Segundo a especialista, a doença está associada ao esforço acomodativo, ou seja, o ato repetitivo de ver coisas pequeninhas muito de perto, em movimento ou no escuro. "Se a criança passa muito tempo em frente ao computador, joguinhos de celular, lendo ou vendo TV no escuro ou ainda assistindo filmes no DVD no carro, o cérebro 'entende' que o importante é a visão de perto, que vai ficando cada vez melhor, em detrimento da visão de longe", explica.

É importante saber que esse não é o único fator que conta para o surgimento da doença. Também há predisposição genética e outras influências ambientais. Por conta disso, os aparelhos eletrônicos podem causar um prejuízo ainda maior para quem já tem possibilidade de desenvolver a miopia, por ter parentes que apresentem esse quadro na família ou apresentar essa tendência em exames de rotina.

Outras doenças oculares

Dados do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) divulgados no início de 2013 apontavam que cerca de 15 milhões de crianças em idade escolar sofrem de problemas de visão, como miopia, hipermetropia e o astigmatismo. De acordo com a entidade, a Agência Internacional de Prevenção à Cegueira, ligada à Organização Mundial da Saúde (OMS), estima que pelo menos 100 mil crianças brasileiras tem alguma deficiência visual e 33 mil ficaram cegas por causa de doenças oculares que poderiam ser evitadas ou tratadas caso descobertas precocemente.

Como evitar

Evitar o exagero da tecnologia e realizar exames periodicamente é essencial. O primeiro deles, conhecido como teste do olhinho deve ser feito logo que a criança nasce, ainda na maternidade. Ele pode detectar problemas como catarata, glaucoma congênito e ainda opacidades congênitas de córnea, tumores ou inflamações intraoculares e hemorragias intravítreas.

Depois disso, ao longo do desenvolvimento da criança, é preciso levar a criança para fazer uma avaliação oftalmológica completa de seis em seis meses até completar dois anos de idade, e depois marcar exames anuais até os 10 anos ou sempre que houver necessidade.

Sintomas

É muito difícil perceber os sintomas na fase inicial, por isso a importância dos exames. "Os sinais mais perigosos indicativos de doença ocular são o aparecimento de um reflexo esbranquiçado nas fotografias, assimetria do reflexo vermelho do flash entre os olhos e estrabismo (desvio dos olhos)", enumera Dra. Rosane.

Fique atento também a dores de cabeça frequentes, ao franzir da testa e apertar os olhos para ler e a necessidade se sentar muito próximo da lousa na escola ou mesmo da televisão. Todos esses podem ser sintomas de miopia, hipermetropia e astigmatismo.