Vacina de posto é boa? Pediatra tira dúvidas

shutterstock 50335561
Vacina

Por Dr. Roberto Cooper - Pediatra

Do Bolsa de Bebê

Vacinas protegem contra uma série de doenças , tornando a vida dos bebês, crianças, adolescentes e adultos, muito mais saudáveis.  Todos os pais devem cuidar para manter o calendário de vacinas atualizado. É importante saber que, se atrasarem uma vacina, não perderam as doses anteriores. Não há necessidade de recomeçar a vacinação por conta de um atraso na dose.

Leia também:

Quando devo comprar um andador?

Para ser saudável, lancheira deve refletir a alimentação de casa

Deixar ou não os filhos dormirem com os pais?

Algumas vacinas podem provocar reações. Por exemplo, a BCG, que protege contra a tuberculose, produz uma pequena ferida no braço do bebê que é normal. As vacinas que contém um componente anti-tetânico , podem deixar um pequeno nódulo, no local da injeção, que desaparecerá com o tempo. Algumas crianças fazem um pequeno pico febril, totalmente benigno, após a vacinação. Reagir ou não a uma vacina não significa absolutamente nada. O efeito protetor da vacina não depende de existir  ou aparecer uma reação.

Cada vacina tem um local apropriado para ser aplicada. Existem vacinas que devem ser injetadas no músculo e outras sub-cutâneas. O BCG é a única vacina que deve ser aplicada de forma intra-dérmica (é a mais superficial das aplicações, dentro da pele). Outras vacinas são dadas por via oral, como é o caso da vacina contra o rotavirus e a pólio. No exterior existem vacinas que são aplicadas por via nasal.

Todas as vacinas aplicadas no Brasil são seguras. O índice de possíveis efeitos colaterais é mínimo e os benefícios de proteger as crianças é infinitamente maior do que os potenciais riscos.

As vacinas oferecidas em postos de saúde são de excelente procedência, seguras e eficazes. Além disso, os profissionais que trabalham em postos de saúde são experientes e habituados na vacinação de bebês e crianças. Os postos também obedecem às normas de conservação e manuseio das vacinas.

[[{"fid":"","view_mode":"default","fields":{"format":"default","field_file_image_description[und][0][value]":""},"type":"media","link_text":null,"attributes":{}}]] (clique na imagem para ampliar)

Algumas vacinas ainda não estão disponíveis em postos de saúde, como a vacina contra a Hepatite A, a Varicela (Catapora) e o HPV (Papilloma Virus).  Estas podem ser encontradas em clínicas privadas de vacinas. Nas clínicas privadas também é possível se encontrar vacinas que são oferecidas nos postos, com alguma conveniência ou variação. É o caso da vacina hexavalente que reúne em uma única dose, Hepatite B, Difteria, Tétano, Coqueluche, Hemophilus e Polio Injetável. Ou então a vacina contra pneumococos dos postos protege contra 10 tipos de pneumococos e as das clínicas, contra 13. Converse com seu pediatra sobre essas diferenças.

Dr. Roberto Cooper é médico formado pela UFRJ em 1976

Residente de Pediatria do Hospital da Lagoa- 1976/1977

Título de Especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria

Médico do Instituto Fernandes Figueira- FIOCRUZ

Consultor da OMS até 1985

Contatos: consultoriorcooper@globo.com - http://www.robertocooper.com