mulher

Brincar ajuda no desenvolvimento infantil

brincar pais filhos
brincar-pais-filhos

O período das férias é um grande aliado para que as crianças possam brincar e, assim, desenvolver a autoestima, a imaginação, confiança, controle, criatividade, cooperação e o relacionamento interpessoal. Para os pais, é uma possibilidade de estarem presentes e utilizarem o brincar como instrumento para o desenvolvimento dos filhos, oferecendo a eles oportunidades para criar, explorar, divertir e experimentar.

Leia também:

Idade ideal para cada esporte

Como falar de temas sérios com as crianças?

Saber estimular filhos para o estudo é importante

O educador Tiago Aquino, professor dos cursos de pós-graduação em Lazer e Recreação e Educação Física Escolar e Natação e Atividades Aquáticas da Universidade Gama Filho, sugere que haja um espaço adequado para as brincadeiras, onde as crianças farão as escolhas sobre o que e com quem elas brincam. "O brincar e o jogar são momentos sagrados na vida de qualquer indivíduo. É com a prática dos jogos e das brincadeiras que as crianças ampliam os conhecimentos sobre si, sobre os outros e sobre o mundo que está ao seu redor. Desenvolvem as múltiplas linguagens, exploram e manipulam objetos, organizam seus pensamentos, descobrem e agem com as regras, assumem papel de líderes e se preparam para um mundo socializado", afirma.

Brincadeiras de pais e filhos

A presença dos pais é importante para que possam orientar a criança nessa fase de autodescoberta, pois brincar é uma das principais formas de vivências da criança, que parte da percepção de seus limites e de suas possibilidades, explorando seu ambiente através de brincadeiras de uma maneira saudável e produtiva. "A importância do brinquedo decorre de sua capacidade de instigar a imaginação infantil. Ao vê-lo, a criança é tocada pela sua proposta, reconhece algumas coisas, descobre outras, experimenta e reinventa, analisa, compara e cria. Sua imaginação se desenvolve e suas habilidades também", diz.

É importante também que a criança não brinque sozinha. Assim, sua sociabilidade também se desenvolve. Brincando ela faz amigos, aprende a compartilhar e a respeitar o direito dos outros e as normas estabelecidas pelo grupo, e a envolver-se nas atividades apenas pelo prazer de participar, sem visar recompensas nem temer castigos. "Brincando, a criança estará buscando sentido para sua vida. Sua saúde física, emocional e intelectual depende, em grande parte, dessa atividade lúdica", finaliza.