Voltando à forma > Controlando a boca nervosa

Se nove meses são suficientes para o ganho dos "quilinhos" a mais, perdê-los pode ser um processo bem mais lento. A primeira coisa a ter em mente é que não serão poucos meses que devolverão o "corpicho" esbelto que você exibia antes da gravidez. "Os órgãos demoram para voltar ao lugar e, além disso, logo após o nascimento é normal que a mulher coma um pouco mais já que a amamentação consome muitas calorias (cerca de 500 Kcal/dia) e a fará sentir muita fome", explica a nutricionista Cristina Menna Barreto. É bem provável que você só consiga ver maiores resultados depois da lactação.

Por falar em amamentação, nessa fase tudo o que você consome é transmitido ao bebê pelo leite, por isso, nada de dietas rigorosas, nem lanchinhos substituindo refeições. Seu bebê precisa de você. "Ainda que os cuidados devam ser tomados o quanto antes, dieta lembra restrição e privação e o objetivo nesta fase não é esse", explica a nutricionista. Aproveite para se dedicar exclusivamente ao pequeno, aproveitando tudo de único que o momento traz.

Quando comemos várias vezes ao dia, diminuímos a fome, comemos em menor quantidade e aceleramos o metabolismo, facilitando a perda de peso

Tendo isso em mente, é hora de cuidar do cardápio. Há uma grande diferença entre dieta e reeducação alimentar. Se você não deseja entrar na estatística de mulheres que sofrem com o efeito sanfona (ganho e perda de peso constantes) é melhor adotar a segunda tática: da alimentação saudável. "Nada de dietas muito restritivas. Elas não ajudam a manter o peso depois do emagrecimento, pois o bom hábito alimentar não foi formado. Reeducar-se é trabalhar em cima dos erros e conscientizar-se dos hábitos corretos na hora de se alimentar", alerta a especialista em nutrição.

A empresária Graziella Marjorie Heck, mãe de William (11 meses), engordou 11 quilos na gravidez. Sofreu com todas as transformações e a incerteza de saber como o corpo iria ficar. "Quando era mais jovem fiz muitas dietas malucas e tentava fazer academia exaustivamente. Com o tempo aprendi que isso só colabora para ficarmos desanimadas e engordarmos mais".

Como deve ser, então, a alimentação das mamães que acabaram de dar à luz? Cristina traz a resposta: "A dieta deve ser pobre em doces, frituras, feijão (dá gases à criança), café, produtos industrializados em geral e alimentos adoçados. Por outro lado, rica em alimentos integrais, grãos, carne, frango, peixe, queijo, leite, frutas e verduras. Assim, o corpo ficará bem nutrido, haverá mobilização da gordura e perda de peso", garante a nutricionista. Graziella aprova: "Adotei uma alimentação balanceada, com muita fruta, salada e legumes e tive uma recuperação muito boa. As pessoas diziam que nem parecia que eu havia acabado de ter filho".

Por fim, não se esqueça dos líquidos. Eles ajudam a manter o organismo funcionando, facilitando o processo de perda de peso. "O ideal é que sejam tomados de sete a dez copos de água por dia", recomenda Cristina, que dá outra dica: "Programar as refeições com antecedência é um excelente exercício e diminui as chances de uma escolha ruim".

A nutricionista Cristina Menna Barreto dá o exemplo de um bom cardápio:

CAFÉ DA MANHÃ- Leite de vaca ou soja, pão integral com queijo, peito de peru, requeijão e meio mamão papaia ou outra fruta.

LANCHE DA MANHÃ

- Frutas. Se o intestino estiver ruim, acrescente aveia.

ALMOÇO

- Arroz ou batata ou mandioca (sem ser frita) ou macarrão com molho vermelho; carne, peixe ou frango sem serem fritos, salada crua e cozida à vontade (pode temperá-la com uma colher de azeite). De sobremesa, uma fruta e para acompanhar água ou água de coco.

LANCHE DA TARDE

- Sanduíche de pão integral com frios, acompanhado de um suco natural sem açúcar, iogurte ou leite.

- Duas frutas picadas, um iogurte de frutas, damascos e frutas secas (meia xícara), cinco colheres de sopa de granola e aveia misturadas.

- Vitamina feita com um copo de leite semi-desnatado, uma banana ou meio mamão papaia, três colheres de aveia e, se precisar, adoçante à base de sucralose.

APÓS AS MAMADAS

- Água e frutas picadas.

JANTAR

- Mesma dica do almoço.

Observação: Nos fins de semana, você pode abusar um pouco em somente uma das refeições.

Vale lembrar que além de ficar de olho no que entra no prato é preciso respeitar o intervalo entre as refeições. "Quando comemos várias vezes ao dia, diminuímos a fome, comemos em menor quantidade e aceleramos o metabolismo, facilitando a perda de peso", esclarece Cristina. O indicado é que sejam feita uma refeição a cada três horas.