mulher

Depressão pós-parto masculina

depressao pos parto masculina
depressao-pos-parto-masculina

A depressão pós-parto é um problema bem conhecido e comum entre as mulheres que acabaram de ter bebê, mas poucas pessoas sabem que o nascimento do filho também pode causar um abalo no pai. Essa chamada depressão pós-parto masculina, embora não seja diagnosticada, acontece no mesmo período e traz consequências parecidas com a doença feminina.

Leia também

Depressão pós-parto atinge 20% das mulheres

Presença do pai na gestação ajuda no desenvolvimento do bebê

Fisioterapia pós-parto ajuda a voltar mais rápido à rotina

Com a chegada da criança em casa, a rotina familiar tende a mudar completamente e, por mais que o ambiente esteja preparado, nem sempre essa transição é fácil. "Ocupar o lugar de pai, bem como assumir a responsabilidade que esse papel requer, pode não ser fácil. É possível que ele se sinta incapaz ou se exija demais, por exemplo, impondo a si próprio um nível de exigências acima do que consegue cumprir. A preocupação com a estabilidade financeira da família ou a mudança da rotina que tinha com a companheira antes do bebê nascer também podem contribuir para desencadear angústias", afirma a psicóloga Cynthia Boscovich.

Em geral, é a mulher quem está mais propensa a passar por essa alteração de humor, entretanto, o homem não está livre de viver esse problema. A estrutura psíquica varia de pessoa para pessoa e pode ser mais ou menos estruturada, independente do sexo.

Sintomas e tratamento

Para que o médico chegue ao diagnóstico é preciso analisar vários sintomas da depressão pós-parto masculina. Entre os mais comuns estão estresse, medo, preocupação excessiva e tristeza, que devem perdurar por, no mínimo, quinze dias. Mas é preciso cuidado, já que é fácil confundir ansiedade, angústia, medo, e dificuldades diversas com depressão. O aconselhável é mesmo fazer uma avaliação com um profissional da área, a fim de esclarecer o que de fato está acontecendo.

Sendo identificado o problema, é preciso passar por consultas que ajudem o pai a superar. A psicoterapia pode ser uma grande aliada nesse momento, já que permite não só o tratamento dos sintomas, mas também a descoberta do papel de cada um nessa nova família que, com a chegada do bebê, precisará ser reconfigurada e encontrar equilíbrio.