mulher

Bebês também precisam cuidar das madeixas

shutterstock 66740257
cabelo-bebê-banho

Melina Cabral

Do Bolsa de Bebê

O cabelinho do meu bebê deve ser lavado todos os dias? E o uso do condicionador, é mesmo necessário? Quando devo cortar? Essas perguntas também fazem parte das listinhas de dúvidas das mamães, que não se preocupam apenas com a posição correta do bebê dormir, com refluxos ou amamentação.

"As crianças precisam usar shampoo que não agrida aos olhos. As mães devem preferir os neutros e suaves. Até o sexto mês de vida os bebês têm cabelo fetal, normalmente bem fino. Por isso o cuidado com um shampoo especial é importante", explica o pediatra Ricardo Morando, médico do Hospital e Maternidade São Luiz.

Leia também:

Saiba como cuidar e higienizar o cordão umbilical

Mãe é melhor termômetro para a água do banho

Produtos perfumados podem dar irritação

Segundo o médico, até os dois anos de idade o uso do condicionador não é necessário. As crianças trocam muito de cabelo até essa fase, e os que nascem são finos, fetais.

As mamães também não precisam se preocupar caso notem muitos cabelos espalhados no travesseiro e no berço do bebê. "É comum a troca de cabelo. Muitos chegam até a ficar sem os fios em alguns cantos da cabeça", esclarece o pediatra. Quando bebês eles não sentam e passam a maior parte do tempo deitados ou no colo. Esse contato direto do cabelo com o braço ou o travesseiro também pode estimular ainda mais a queda dos fios.

Deve-se lavar a cabeça diariamente. Se a criança tiver muito cabelo, desembarace antes de entrar no banho. O androgênio, hormônio presente na placenta da mãe, permanece no couro cabeludo do recém-nascido por alguns meses. Isso faz com que os cabelos dos pequenos fiquem oleosos diariamente, por isso também a necessidade de higienizar todos os dias.

O médico sobre prender o cabelo das meninas com fivelas. "É um risco. A criança não sabe que aquilo não pode ser colocado na boca e, muitas vezes, ocorre da criança engolir", afirma Ricardo Morando. Muitas presilhas têm formatos de doces, bichinhos e bonecas, atrativos que as crianças não conseguem diferenciar de um doce e acabam colocando na boca.

"A criança não nasce com um manual de instruções. Cada ser é diferente do outro. O instinto materno é muito importante na criação do bebê, mas alguns cuidados devem ser lembrados e esclarecidos para ajudar a mamãe nas inúmeras fases do filho", finaliza o pediatra.