mulher

Pessoas ansiosas têm menos prazer na cama; saiba como ela afeta seu desempenho

pessoas ansiosas tem menos prazer na cama
(Thinkstock)

A ansiedade é um problema comum no dia a dia e que também pode estar presente na hora do sexo. Segundo a psicóloga Dra. Letícia Guedes, esse incômodo psicológico pode trazer insegurança e nervosismo, atrapalhando diretamente o desempenho sexual de homens e mulheres.

Leia também:Ansiedade: efeitos na saúde e como melhorar o quadroComo controlar a ansiedade através da alimentação6 problemas que podem estar minando sua vida sexual

pessoas ansiosas tem menos prazer na cama1
(Thinkstock)

Já nos homens, é possível gerar distúrbios como a ansiedade de desempenho, que consequentemente afeta a capacidade de ter uma relação sexual prazerosa."Esses problemas podem resultar em disfunções sexuais, como a impotência e a ejaculação precoce", explica a psicóloga.

Causas da ansiedade no sexo

pessoas ansiosas tem menos prazer na cama2
(Thinkstock)

A especialista ainda alerta para a influência social neste problema: "A evolução da sociedade cobra muito do perfil feminino da atualidade, isso contribui para que elas se sintam inseguras, quando não estão dentro do padrão estipulado por esta sociedade".

Alguns homens mudam de postura se estiverem muito ansiosos, ficando mais agressivos ou tensos: "O homem pode produzir um orgasmo com intensidade, mas de má qualidade", esclarece a psicóloga. Ao mesmo tempo, outros homens podem não se sentir estimulados para a relação sexual, não conseguindo ter ereção, o que causa uma frustração ainda maior.  

Como resolver?

pessoas ansiosas tem menos prazer na cama3
(Thinkstock)

"A mulher nem sempre percebe que não está tendo uma vida sexual normal, somente através da mudança de seu comportamento que o problema pode ser percebido, por isso elas demoram mais tempo que os homens para buscarem ajuda", relata.

Independente do sexo do paciente, é importante procurar ajuda. "Uma vez que a pessoa trate sua ansiedade, com a ajuda de um profissional bem treinado, sua vida sexual poderá encontrar um equilíbrio e uma qualidade antes jamais conhecidos", esclarece a psicóloga. O tratamento para ambos os sexos é similar, mas ela explica que não é o mesmo, pois é preciso "respeitar as particularidades de cada cliente e sua história de vida". Em geral, são feitas avaliações para classificar o grau de ansiedade do paciente e são ensinadas técnicas para controlá-la.