Proibidões: 6 programas que nenhuma criança dos anos 2000 podia assistir (mas assistia)!

banheira do gugu
reprodução

A TV brasileira sempre esteve recheada de programas um tanto quanto... picantes. Mas o auge aconteceu entre os anos 90 e 2000, e vários adultos de hoje, que na época ainda eram crianças/pré-adolescentes ingênuos, foram bombardeados com coisas que às vezes nem faziam tanto sentido assim! Veja 6 programas proibidos para as crianças dos anos 2000 (mas que todo mundo dava um jeito de espiar!) 

Leia também: 

Veja 8 fatos que marcaram a TV brasileira

7 vezes em que ficamos com 'vergonha alheia' da TV brasileira

Programas populares que NÃO eram para criança

"Presença de Anita"

Você estava lá, de boa, provavelmente assistindo novela com seus pais, quando, de repente, começava a abertura de “Presença de Anita”. Seus pais te olhavam com aquele olhar de “já passou da hora de dormir, vai já para o quarto”, e você só tinha um vislumbre da safadeza oculta que rolava naquela minissérie. José Mayer era um dos galãs grisalhos da época, e se apaixonava pela ninfeta Anita, interpretada pela atriz (desejada por todos os homens – e algumas mulheres? – da época) Mel Lisboa. Era o proibidão dos proibidões. E a música "Ne Me Quitte Pas" passou a ser associada diretamente à minissérie. 

"Os Normais"

“Os Normais”, criado por Fernanda Young, era super engraçado e marcou a história da comédia na televisão brasileira, mas os dilemas de casal de Vani e Rui, que eram recheados de conotações sexuais e muitos assuntos proibidos para crianças, faziam todas elas serem expulsas do sofá nos domingos à noite pós-Fantástico. Mas que atire a primeira pedra a criança que nunca ficou escutando os diálogos pela fresta da porta do quarto!

"Feiticeira e Tiazinha no Huck"

Quem vê Luciano Huck hoje em dia ajudando pessoas a reconstruir suas casas e carros, e fazendo quadros levinhos, dignos de um sábado à tarde, não imagina que há mais de 15 anos ele chamava duas mulheres – uma vestida de feiticeira, e outra de algum tipo de dominatrix – para o palco, para fazerem danças sensuais e deixar todos os adolescentes delirando.

"Linha Direta"

O programa anunciava: “tirem as crianças da sala”. A famosa vinheta, cheia de barulhinhos de ligações telefônicas, já avisava que era hora de criança estar na cama. "Linha Direta", comparado a outros programas da lista, até era leve, cobria crimes que aconteceram no Brasil e que saíram impunes, mas todo o ar de mistério e de casos sem solução já deixava os pais temendo pela ingenuidade dos filhos!

"Programa do Gugu"

O programa do Gugu, como um todo, era uma abundância de safadeza e sensualidade. Sabe aquele domingo que você ia almoçar na casa da sua avó, com toda a família reunida? Aí, depois do almoço, para fazer aquela digestão, ligava-se a tevê para dar de cara com um monte de bundas, banheiras ensaboadas com mulheres pagando peitinho, provas de bexiga, ereções involuntárias de atores hollywoodianos e concurso de camisetas molhadas. E a lista continua!

Teste de Fidelidade

Ver essa foto no Instagram

Para...Para...Para...

Uma publicação compartilhada por Joao Kleber (@joaoklebersoueu) em

A época de ouro do Teste de Fidelidade, de João Kléber, aconteceu nos anos 2000, e era um quadro do programa “Eu Vi Na TV”. O apresentador fazia o maior mistério se o marido ia ser infiel ou não, e escolhia mulheres com muito pouca roupa para tentar fazer o dito cujo se render. Para deixar de ser programa de auditório e virar um prelúdio ao pornô faltava muito pouco! Mais um dos programas que passava no fim de tarde de domingo de todas as famílias brasileira!

Programas de TV infantis