pop

Você sabia que a Bela foi a primeira princesa feminista da Disney? Leia a história

mv5bztu1zjczztetmwm5yy00zgu2lwjhzgytytbmytnkote2ndg2xkeyxkfqcgdeqxvyntqxmtixmtk
Walt Disney Productions via IMDb

A Disney acabou de lançar o primeiro teaser do reboot de “A Bela e a Fera”, com Emma Watson como protagonista e estreia em março de 2017.

E um fato deixou todo mundo curioso: a roteirista responsável pela animação original, de 1991, que ganhou Oscar de Melhor Canção e Melhor Trilha (primeira animação da história indicada ao prêmio) Linda Woolerton, não está envolvida no live-action.

Personalidade da Bela, da Disney

mv5bmty5ody4mdq1nf5bml5banbnxkftztcwode1odaynw
Walt Disney Productions via IMDb

Linda Woolerton foi a primeira mulher a escrever um filme animado da Disney e a criar uma personagem feminina forte, independente, uma heroína de verdade.

Woolerton não queria que ela deixasse de ser uma princesa da Disney, mas que fosse ela a salvadora de alguém, não ela sendo salva.

“Bela é uma feminista. Eu não sou crítica da Branca de Neve, da Cinderela... elas refletem os valores da época. Mas simplesmente não estava em mim escrever um retrocesso. Eu queria uma mulher dos anos 90, alguém que quisesse fazer algo além de só esperar pelo príncipe encantado”, explicou ela ao Los Angeles Time.

Suas inspirações vieram da publicação “Mulherzinhas” (1868), principalmente de Katharine Hepburn, uma moleca forte, ativa, que gostava de ler e queria mais do que a vida estava oferecendo.

Direto do forno: Saiu o primeiro teaser de "A Bela e a Fera"; assista ao vídeo