explore

Conheça o fotógrafo brasileiro por trás da foto incrível que venceu prêmio de Nova York

 hbz1769 premiada
Arquivo Pessoal/Hermes Bezerra

“Pirotecnia” é o título desta imagem, tirada na Praia da Cachoeira do Bom Jesus, em Florianópolis, e vencedora do “Capture The Moment”, um concurso de fotos de Nova York, que premia as melhores fotografias capazes de registrar momentos únicos de inspiração.

O responsável pelo seu clique foi o carioca Hermes Bezerra, fotógrafo há mais de 23 anos. Era uma terça-feira quando descobriu que havia vencido o concurso. Tinha deixado os filhos na escola e acabado de voltar para trabalhar em casa, em Santa Catarina, onde mora há cerca de 21 anos.

portrait hermes
Arquivo Pessoal/Hermes Bezerra

“Foi doideira, porque eu recebi o e-mail em inglês e até pensei em deletar. Nem me lembrava mais que tinha entrado nesse concurso, e mesmo depois que li, não estava botando muita fé. Quando eu vi minha foto na galeria oficial do site, não acreditei que eu fui o primeiro colocado dentre tantas fotos maravilhosas”, conta o artista sobre a sensação de saber que havia sido o vencedor.

Das suas inspirações

Apaixonado pelo lugar onde onde vive e trabalha, Bezerra fala com muito carinho de Floripa. “É a nossa praia. Mesmo quando tá frio, a gente sempre vai pra caminhar, entrar em contato com o mar”, falou sobre Cachoeira do Bom Jesus. E foi em um desses passeios na praia que a foto aconteceu.

“No inverno passado, reunimos a família e agregados para uma feijoada em casa. Conversando sobre a infância, perguntamos se as crianças queriam ir à praia de noite, pra gente contar histórias. Foi quando andamos para o “Caminho das Bruxas”. O local foi batizado com esse nome porque o filho de Bezerra ficava alucinado com as histórias que o pai contava de lutas entre bruxas e lobisomens quando iam para lá.

 hbz1773 baixa
Arquivo Pessoal/Hermes Bezerra

No meio do caminho, eles pararam para comprar bombril para brincar de “pirotecnia”. Quando era pequeno, o fotógrafo conta que brincava muito disso. Colocavam fogo na palha de aço e ficavam girando. Foi aí que tiveram a ideia de fazer algumas imagens para tentar capturar o efeito da brincadeira. “Eu nunca iria imaginar que aquelas fotos me fariam ganhar um prêmio de Nova York”, Bezerra conta admirado.

Na foto, seu irmão está com sua sobrinha do outro lado, à direita, e o seu filho mais velho embaixo, à esquerda. Ele nem lembra como escolheu a foto para participar do concurso, mas conta como aquele momento traz boas lembranças e desperta sentimentos muito especiais.

De fuzileiro a fotógrafo

Foi em 1993, quando estava na Escola de Fuzileiros Navais do Rio de Janeiro que Hermes Bezerra entrou em contato com a fotografia pela primeira vez. Um amigo o convidou para fazer um curso de história da fotografia na Faculdades Integradas Simonsen. “Me apaixonei logo na primeira aula. Comprei a câmera mais simples que existia, a Zenit 122, e nunca mais parei”.

Apesar da surpresa, este não é o primeiro concurso que o fotógrafo ganha. Vencedor de mais outros seis prêmios, Bezerra guarda dois muito especiais em sua memória. O primeiro foi o que ganhou em 1999, o Prêmio Casan de Fotografia em Floripa, em comemoração à semana do meio ambiente.

700x0 gg 8458
Arquivo Pessoal/Hermes Bezerra

“Também não botava fé nesse. Fiz a foto em casa, com as mãos do meu irmão. Na época era negativo ainda. E foi inesquecível porque minha mãe sempre foi muito orgulhosa de mim, e ela estava lá comigo no dia”, conta emocionado sobre a mãe, que morreu em 2013, e sobre a estranha coincidência da presença do irmão nas fotos que renderam prêmios.

O outro prêmio que Bezerra fala com orgulho é o Prêmio de fotojornalismo Olívio Lamas, em 2007. Ele tinha ido para Argentina passear, quando percebeu que tinha um homem nu em cima de um prédio próximo ao seu hotel, querendo se jogar.

trofeu olivio lamas de fotojornalismo
Arquivo Pessoal/Hermes Bezerra

Sem pensar duas vezes, o fotógrafo pegou seu equipamento e foi para o local. “O cara pulou fora do colchão e eu consegui fotografar ele no ar. Peguei o exato momento em que ele arremessou. Foi impressionante”, relembra ele. O homem não sobreviveu.

O fotógrafo receberá da empresa US$ 500 em prêmios, um certificado e a foto impressa em alta resolução. Ele não quis revelar o que vai fazer com o prêmio, mas adiantou que um projeto muito especial está a caminho.

Relembre: 10 fotos incríveis do menino de 16 anos eleito o “Fotógrafo do Ano”