explore

5 mamíferos que você não sabia que eram venenosos

loris think
ThinkStock

Quando se fala em animais venenosos, o que vem à cabeça são cobras ou insetos. Raras vezes esse termo é associado a animais mamíferos. E são poucos mesmo os animais desta condição que produzem veneno. Algumas teorias explicam que isto acontece porque o veneno serve para paralisar a presa, mas como os mamíferos modernos possuem dentes e garras e podem matar sua vítima com maior agilidade, o veneno não se mostrou mais necessário. Veja a seguir se você já conhecia algum destes 5 mamíferos venenosos:

Confira também:

5 animais que você não sabia que poderiam te matar

#1 Lóris lento

loris1 think
ThinkStock

A mordida deste animal, ainda que ele tenha estes olhos grandes e fofos, pode fazer muito mal. Eles possuem uma glândula no braço, que, misturada à saliva, pode produzir um reação alérgica grave. O animal já entrou na lista de traficantes de animais exóticos e está cada vez mais ameaçado.

#2 Musaranho

musaranho think
ThinkStock

Existem várias espécies de musaranhos, mas poucas delas são venenosas. O musaranho se alimenta de animais menores que ele e usa o veneno para manter insetos e pequenos mamíferos em um estado de coma por longos períodos, para conseguir armazená-los.

#3 Almiqui

almiqui div
Divulgação

Os almiquis são parentes próximos dos musaranhos e estão quase extintos. Habitam regiões de Cuba e da Espanha e possum uma saliva tão venenosa, que pode matar cachorros de pequeno porte. O veneno é um mecanismo de defesa do animal e também é usado para a alimentação com pequenos insetos.

#4 Toupeira

toupeira think
ThinkStock

Esta espécie também usa o veneno para paralisar as presas e mantê-las vivas para comer por algum tempo depois de capturadas. As toxinas da sua saliva são eficazes para paralisar vermes, um de seus alimentos preferidos.

#5 Ornitorrinco

ornintorrinco div
Divulgação

Raros e estranhos, os ornintorrincos machos possuem glândulas de veneno nas patas traseiras. Sua principal utilidade é para a época do acasalamento, quando protege seu território de outros machos. Ele pode causar uma das piores dores sentidas pelo ser humano, que pode durar meses.

Leia também:

Procura-se abelha invasora; 5 curiosidades do inseto mais temido do Brasil