explore

Conheça 6 mulheres que fizeram história na medicina

Stockphoto/Thinkstock

No passado, a medicina era uma área integrada, em sua maioria, por homens. Era muito difícil para as mulheres obterem reconhecimento em pesquisas e descobertas. Porém, algumas delas chegaram ao topo, com contribuições incríveis para a humanidade. Veja a seguir:

6 e 5: Elizabeth e Emily Blackwell

Joseph Stanley Kozlowski / Wikimedia Commons

Para as mulheres, entrar para a faculdade de medicina era extremamente mal visto. As irmãs Blackwell, nascidas na Inglaterra e radicadas nos Estados Unidos, foram contra esse princípio e tentaram ingressar na carreira. Elizabeth, a mais velha, teve que estudar sozinha em casa, com a ajuda de um tutor, e foi recusada por nada menos que dez faculdades. Ela finalmente foi aceita na Universidade de Geneva, onde se tornou a primeira mulher a se formar médica, em 1849. Mais tarde, ela também criou uma escola de medicina voltada para as mulheres.

4. Cecilia Grierson

Cecilia, nascida em Buenos Aires em 1859, foi a primeira mulher a exercer a medicina na América do Sul. Ela fundou a Sociedade Argentina de Primeiros Auxílios, em 1892. Assim como outras que se destacavam em sua época, ela também lutava a favor dos direitos civis das mulheres. Foi pioneira na área de cinesiologia, que estuda os movimentos do corpo humano, nos países de língua espanhola, publicando um livro sobre o assunto, em 1897.

3. Margaret Sanger

[[{"fid":"1013844","view_mode":"default","fields":{"format":"default"},"type":"media","link_text":null,"attributes":{"alt":"Margaret Sanger","title":"Margaret Sanger","class":"media-element file-default"}}]]No século XIX, era comum que as mulheres tivessem vários filhos. Contra esse princípio, Margaret foi a primeira mulher a defender o controle de natalidade. Nascida em Nova York, em 1879, ela chegou a conversar com Gandhi sobre implantar o planejamento familiar na Índia, que passava por um aumento descomunal de sua população e não tinha estruturas para sustentar tanta gente. Por ser a favor de remédios que impedissem a gravidez, Margaret foi presa. A pílula anticoncepcional, porém, só surgiu quando ela fez 80 anos, tarde demais para que ela pudesse ajudar sua própria família.

2. Louise Joy Brown

Youtube

Louisenão foi médica ou enfermeira, mas mesmo assim fez história na área da medicina. Ela foi o primeiro ser humano concebido fora do útero da mulher, algo escandaloso para a época, 1978, na Inglaterra. Ela ficou conhecida no mundo todo como “bebê proveta”. Apesar das críticas, a fecundação in vitro tinha finalmente se tornado realidade. Por ser a primeira a passar pelo processo, Louise teve sua saúde acompanhada extremamente de perto, quase como um experimento científico. Aos 28 anos, ela engravidou de forma natural, e teve um filho perfeitamente saudável, sanando a maior dúvida quanto a forma que ela mesma foi concebida.

1. Florence Nightingale

Wikimedia Commons

Inglesa nascida na Itália, em 1820, Florence teve vontade de entrar para a medicina quando as notícias sobre a Guerra da Crimeia surgiram, relatando a morte de milhares de soldados devido a péssimas condições sanitárias e de primeiros socorros. Assim, ela propôs ao governo britânico de ir para a linha de frente da batalha com uma equipe médica, algo que marcou o surgimento da enfermagem moderna. Seu conhecimento ia além de curativos: Florence foi a primeira a relacionar a estatística com a medicina, e introduziu os primeiros formatos para coletar informações clínicas de pacientes.