pop

7 canções que mostram que a MPB também pode ser suja e agressiva

gal costa mpb agressiva
Jorge Rosenberg/iG

Falar de MPB é imaginar violões, músicas suaves, acordes complexos. Este é um estigma que os próprios artistas quiseram se associar após a bossa nova, como espécie de contravenção à cena roqueira da Jovem Guarda e ao manifesto estético do Tropicalismo.

Leia também: Conheça 5 novas bandas brasileiras que valem a pena

Isso não quer dizer que as guitarras seriam evitadas no gênero. Ou que os vocais não poderiam soar agressivos. Ou que as composições não poderiam ser sujas.

Por isso, confira 7 exemplos de como a MPB também já foi suja:#1 Gal Costa: “Cultura e Civilização” (1969)https://www.youtube.com/watch?v=mL42yQSmrHsNum primeiro disco, mandar que a ‘cultura e a civilização se danem – ou não’ era… Só o começo! “Gal” (1969) foi a estreia de uma intérprete que potencializou a influência do tropicalismo de Gilberto Gil (que escreveu esta letra) e Caetano Veloso (que ainda hoje produz discos da cantora).

Leia também: Meio-termo de Gal Costa: detalhes de "Estratosférica", novo álbum da cantora#2 Milton Nascimento e Lô Borges: “Trem de Doido” (1972)https://www.youtube.com/watch?v=RvMZ7Dpmr8kUma das faixas do clássico “Clube da Esquina” (1972) é torrada por guitarras de Toninho Horta. Quem interpreta é Lô Borges, parceiro de Milton Nascimento (que cnata no refrão) em um dos mais ambiciosos projetos da música brasileira.#3 Luiz Melodia: “Magrelinha” (1973)https://www.youtube.com/watch?v=2Ym8AB31v5w‘O sol não adivinha/Baby, é magrelinha!’ É ouvir esta música de Luiz Melodia e entoar toda vez que contemplar alguma bela moça pelas ruas. A canção faz parte de “Pérola Negra” (1973), um de seus maiores clássicos.#4 Elis Regina: “Velha Roupa Colorida” (1976)https://www.youtube.com/watch?v=Dv6IkNTfOroA ‘Pimentinha’ pode ter sido uma das maiores detratoras da Jovem Guarda e do Tropicalismo, participando de um manifesto contra as guitarras elétricas. Mas ela já havia cantado rock no começo da carreira, nos anos 1960, e gravou canções de teor ‘agressivo’, geralmente ressaltando a juventude – caso de “Velha Roupa Colorida”, composição de Belchior, do aclamado disco “Falso Brilhante” (1976).

Leia também: Os 70 anos de Elis Regina; veja curiosidades#5 Marisa Monte: “Ando Meio Desligado” (1989)https://www.youtube.com/watch?v=1OHpFTyfQLsTudo bem, a canção é d'Os Mutantes. Mas, no primeiro disco, Marisa Monte prometia ser uma cantora que fugiria de qualquer estereótipo – algo que o tempo não lhe poupou. De qualquer forma, é bom vê-la noutros caminhos estéticos, entre o rock, baião e o maracatu.#6 Chico Buarque: “Ode aos Ratos” (2006)https://www.youtube.com/watch?v=RkTfRC-bU2Q“Ode aos Ratos” é levada pelo baião, mas não se engane: Chico Buarque prega uma peça ao ouvinte, comparando os humanos aos asquerosos bichos. Com minuciosa descrição, ele estabelece a surpreendente semelhança que temos com este ‘aborígene do lodo’.#7 Tulipa Ruiz & Criolo: “Víbora” (2012)https://www.youtube.com/watch?v=HMCYQv-hi58Quem imaginava que a voz de Tulipa Ruiz estava reservada a doces, ‘sushis’ e tudo o mais, se surpreendeu com o álbum “Tudo Tanto” (2012), que também traz “Víbora”, uma de suas melhores – e mais agressivas - músicas.

Leia também: Detalhes sobre "Dancê", novo disco de Tulipa Ruiz, e outras novidades