Quem deve usar anticoncepcional injetável? Ideal para quem esquece a pílula + 4 casos

Com opções mensais e trimestrais, a injeção contraceptiva atrai quem não quer o compromisso de tomar pílula diariamente ou mulheres que a esquecem com frequência. No entanto, assim como os demais métodos, a indicação do anticoncepcional injetável deve ser individualizada e exclui alguns casos.

Como age?

Uma única injeção armazena hormônios e os libera em pequenas doses no organismo, o que justifica o efeito que dura de 30 a 90 dias, a depender da versão utilizada.

Ambas as opções possuem diferentes composições, sendo que algumas utilizam estrogênio com progesterona e outras apenas apenas progesterona.

Sua ação é igual a da pílula oral: consiste na inibição dos hormônios FSH e LH, de modo a evitar ovulação, deixar o muco cervical - encarregado de conduzir os espermatozoides até o útero - inadequado e ainda afinar o endométrio - camada em que o embrião se implanta em caso de gestação.

Quem pode anticoncepcional injetável?

A injeção anticoncepcional é especialmente indicada em 4 casos:

Pós-parto

Mulheres que estão amamentando podem apenas tomar anticoncepcionais feitos só com progesterona, uma das opções do anticoncepcional injetável.

Problemas gastrointestinais

O remédio injetável não passa pelo estômago, como acontece com as pílulas orais. Por isso, não haverá agravamento de acometimentos como úlcera, azia ou refluxo gastroesofágico.

Doenças psiquiátricas

Mulheres com acometimentos de ordem psiquiátrica estão mais suscetíveis a comportamentos de risco, como sexo sem preservativo, e maior chance de esquecer de tomar a pílula.

Cólicas menstruais fortes

O anticoncepcional injetável pode reduzir muito e até interromper a menstruação, aliviando as cólicas fortes.

Quem esquece de tomar a pílula oral com frequência

Se a pílula não for tomada todo dia no mesmo horário, suas chances de falhar podem aumentar. Como a injeção é tomada com espaço de tempo maior a proteção é mais duradoura, basta não esquecer de ir à farmácia no dia correto.

Contraindicações

O anticoncepcional injetável, especialmente o que possui estrogênio, é contraindicado para pessoas com histórico familiar ou pessoal de Acidente Vascular Cerebral (AVC), infarto, trombose, doenças sistêmicas e cânceres que são hormônio dependentes, como o de mama e endométrio. Nestes casos, é recomendável recorrer à versão que contém apenas progesterona ou outro tipo de método contraceptivo.

O ginecologista e obstetra Ricardo Luba, especialista em reprodução humana, ressalta que pacientes acima de 40 anos ou com sangramento vaginal de causa não conhecida também devem evitar usar o método.

Efeitos colaterais

Os efeitos indesejados são semelhantes aos das pílulas e variam de acordo com a composição do contraceptivo. "Pode haver retenção de líquido, dor nas mamas, aumento de varizes e principalmente escapes irregulares", explica.

Ainda há casos de falta de libido e ausência total da menstruação.

Engorda?

Apesar de controvérsias sobre os motivos, os médicos ouvidos nessa matéria são unânimes ao afirmar que o anticoncepcional injetável engorda. A médica Andrea atribui o aumento do peso ao inchaço por acúmulo de líquido, já Ricardo Luba afirma que boa parte dos métodos hormonais aumentam o apetite, o que explica a mudança na balança.

Mensal ou trimestral: qual escolher?

Apenas um profissional habilitado poderá avaliar se o anticoncepcional injetável é mesmo a melhor opção para vocês é mais indicado tomar a versão mensal ou trimestral, com hormônio combinado ou único.

Já a aplicação é realizada por um enfermeiro, médico ou farmacêutico qualificado em uma das nádegas.

Métodos contraceptivos: veja outros

Recomendado Para Você

Outbrain